O anjo da história, livro de Walter Benjamin

O anjo da história


R$ 59,80
editora: AUTENTICA
assunto:
Descrição
Tradução de João Barrento

Que não se busque nesta publicação – com tradução e edição esmeradas do português João Barrento – todo o pensamento e o coração aquecido de Walter Benjamin.

Como diz aquele, referindo-se às teses “Sobre o conceito de História”, a narrativa benjaminiana é “um conjunto instável de reflexões”. Além do que, a vida do escritor, ao tempo destas reflexões, estava colada ao terror e à violência da guerra do nazismo. Contudo, os ruídos assustadores dessas contingências empurraram Benjamin para ficar vivo e para pôr no papel ideias que produzira ao longo de aproximadamente duas décadas – algo também operado como consolo e ataque para a desgraça europeia.

Convém acompanhar os textos do filósofo com os outros na seção “Comentário”, pela riqueza da pesquisa de Barrento, que traz cartas de Benjamin e seus interlocutores, notas e informações complementares.

Muitas das espessuras e dimensões do vivido afortunadamente chegam até nós nesta edição. Os direitos e as iluminações do passado, o vigor do materialismo histórico, a necessária revisão da tradição, o patrimônio cultural como trabalho, também, de anônimos; as notas metodológicas como “escovar a História a contrapelo”, a flecha que interroga e fere o “vendaval do progresso”, a recusa diante de um tempo “vazio e homogêneo”, a afirmação do tempo e do espaço históricos – entre tantas outras.

Walter Benjamin tem importância viva nas Ciências Sociais e na História – especialmente no Brasil, onde, a partir da década de 1980, conquistou mais leitores. Aqui está a inteligência radiosa desse criador de conhecimentos sobre a vida social e política, posta a serviço pela radicalidade corajosa e insistentemente fincada nas possibilidades libertárias.

Sobre o autor

Walter Benjamin foi um dos mais importantes pensadores alemães do século XX. Filósofo, ensaísta, crítico literário e tradutor, após a rejeição de sua tese de livre-docência, intitulada Origem do drama trágico alemão, pela Universidade de Frankfurt, que a considerou pouco convencional, abandonou a carreira acadêmica. Escreveu peças para rádio, além de artigos para diversos jornais e revistas literárias. Colaborou com a Zeitschrift für Sozialforschung, revista do Instituto de Pesquisa Social (que mais tarde ficou conhecido como “Escola de Frankfurt”). Filho de judeus, precisou deixar a Alemanha em 1933, rumo a Paris, onde ficou até a invasão nazista. Em 1940, fugiu ilegalmente para a Espanha e, na cidade de Portbou, Catalunha, suicidou-se para não ser capturado pela Gestapo. Walter Benjamin deixou vasta e brilhante obra literária, além de ter contribuído enormemente para a teoria estética, para a filosofia, para o pensamento político e para a história.

Sobre o tradutor

João Barrento licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1964) e em 1986 tornou-se professor de Literatura Alemã e Comparada. Já publicou cerca de vinte livros de ensaio, crítica literária e crônica, traduziu, assim como editou, diversas obras da literatura alemã da Idade Média à atualidade. Como editor e tradutor, é responsável por algumas das mais importantes publicações de autores alemães para o português, com destaque para Goethe (9 volumes, 1991-1993), Robert Musil (8 volumes, desde 2005) e Walter Benjamin (7 volumes, desde 2004). Suas traduções lhe renderam diversos prêmios, como Calouste Gulbenkian da Academia das Ciências (Tradução de Poesia, 1979); Grande Prêmio de Tradução (1993 e 1999); Prêmio de Tradução Científica e Técnica da União Latina (2005); Prêmio de Tradução do Ministério da Cultura da Áustria (2010); além da Cruz de Mérito Alemã (1991) e da Medalha Goethe (1998), entre outros.

Dados Técnicos
Peso: 380g
ISBN: 9788582170410
Google Books Preview