O Mestre e Margarida, livro de Mikhail Bulgákov

O Mestre e Margarida


R$ 72,90
editora: ALFAGUARA
Descrição
"Uma obra-prima, (...) um clássico da ficção no século XX." - The New York Times
"Bulgákov é um dos maiores escritores russos modernos, talvez o maior." - The Independent
O mestre e Margarida é um romance revolucionário, onde Bulgákov narra a fantástica chegada do diabo em plena Moscou comunista dos anos 1930. E satanás não está sozinho em sua comitiva, há uma feiticeira nua, de "ardentes olhos fosforescentes", um homem de roupas apertadas e monóculo rachado, um gato preto de "proporções espantosas".
Tudo começa em uma tarde de primavera, quando Satanás e seu séquito diabólico decidem visitar a cidade e encontram poetas, editores, burocratas e todo tipo de pessoas tentando levar a vida em pleno regime comunista. O que todos ali não sabem é que, depois dessa visita, nada será como antes: um rastro de destruição e loucura mudará o destino de quem cruzá-lo.
A brilhante narrativa de Bulgákov, no entanto, vai muito além de seus aspectos fantásticos e cômicos. Seu livro tem um estilo absolutamente original sobre a liberdade da escrita e a força do amor em tempos adversos. Faz uma sátira devastadora da vida sob o regime soviético, da censura e da repressão.
Bulgákov levou cerca de dez anos para terminar o livro. Sabendo dos problemas que teria com a censura - chegou, inclusive, a queimar uma versão inicial. Ditou à mulher as últimas revisõ es semanas antes de sua morte, em março de 1940. Apenas seu círculo mais íntimo de conhecidos sabia da existência do romance e, também, da impossibilidade de lançá-lo durante o regime stalinista.
O livro sobreviveu por mais de duas décadas e, contra todas as previsões, tornou-se um fenômeno. Acabou, assim, por confirmar uma frase dita no romance pelo próprio diabo, e que na Rússia se tornou proverbial: "Manuscritos não ardem." O mestre e a Margarida é, enfim, um dos livros mais importantes e cultuados do século XX.
Sobre o autor:
Mikhail Bulgákov nasceu em Kiev, em maio de 1891. Trabalhou como médico e, depois de viajar pela Rússia e pelo Cáucaso, estabeleceu-se em Moscou em 1921, onde se dedicou à carreira literária. Escreveu contos, romances e peças, entre elas "Os dias dos Turbin", que teve sucesso no Teatro de Arte de Moscou, em 1926, "A debandada", em 1927, e "Molière", encenada em 1936. Trabalhou também na adaptação para o teatro de clássicos como Almas mortas e Dom Quixote.
A veia satírica de sua obra e a sua posição cada vez mais conflitante com o regime stalinista fizeram com que fosse duramente criticado e, no final dos anos 1920, começasse a ter problemas crescentes com a censura. Morreu em 1940, algumas semanas depois de fazer as últimas revisões de seu romance mais importante - e até então inédito -, O mestre e Margarida.

Dados Técnicos
Peso: 599g
ISBN: 9788579620010
Google Books Preview