Mulheres, raça e classe, livro de Angela Davis

Mulheres, raça e classe


R$ 37,80
preço de capa: R$ 54,00
economia de: R$ 16,20 (30%)
   adicionar ao carrinho
editora: BOITEMPO
condição: Livro novo
prazo: Sob encomenda. Envio em 4 dias úteis + frete (grátis nas compras acima de R$149 para todo o Brasil)
  • A revolução das mulheres - emancipação feminina na Rússia soviética, livro de Graziela Schneider Urso (org.)

    A revolução das mulheres - emancipação feminina na Rússia soviética

    Graziela Schneider Urso (org.)

    R$ 54,00
    R$ 37,80


  • Sejamos todos feministas, livro de Chimamanda Ngozi Adichie, Cristina Baum

    Sejamos todos feministas

    Chimamanda Ngozi Adichie, Cristina Baum

    R$ 19,90
    R$ 14,93


  • Para educar crianças feministas - Um manifesto, livro de Chimamanda Ngozi Adichie

    Para educar crianças feministas - Um manifesto

    Chimamanda Ngozi Adichie

    R$ 14,90
    R$ 11,18


  • Outros Jeitos de Usar a Boca, livro de Rupi Kaur

    Outros Jeitos de Usar a Boca

    Rupi Kaur

    R$ 29,90
    R$ 23,92


  • Eu Preferia Ter Perdido Um Olho, livro de Paloma Franca Amorim

    Eu Preferia Ter Perdido Um Olho

    Paloma Franca Amorim

    R$ 38,00
    R$ 30,40


  • Sexografias, livro de Gabriela Wiener

    Sexografias

    Gabriela Wiener

    R$ 38,90
    R$ 31,12


  • Afinidades revolucionárias - 
Nossas estrelas vermelhas e negras. Por uma solidariedade entre marxistas e libertários , livro de Olivier Besancenot, Michael Löwy

    Afinidades revolucionárias - Nossas estrelas vermelhas e negras. Por uma solidariedade entre marxistas e libertários

    Olivier Besancenot, Michael Löwy

    R$ 38,00
    R$ 26,60


Descrição
Tradução de Heci Regina Candiani
Prefácio de Djamila Ribeiro

Um clássico, para o pensador Norberto Bobbio, é um intérprete único de seu tempo, com tamanha reserva de atualidade que cada época e cada geração têm a necessidade de relê-lo e, ao relê-lo, de reinterpretá-lo. Dessa forma, um clássico cria teorias-modelo com vistas à compreensão da realidade, de tal sorte que consegue até mesmo explicar contextos diferentes daquele em que foi gestado.

O livro Mulheres, raça e classe, da intelectual e feminista estadunidense Angela Davis, amolda-se, com precisão cirúrgica, a essa definição. Publicado em 1981, logo se converteu em referência obrigatória para se pensar a dinâmica da exclusão capitalista, tomando como nexo prioritário o racismo e o sexismo. Ordena-se sobre um arco de temas inescapável para compreendermos o modo de funcionamento das sociedades marcadas pela tragédia da escravidão moderna (o papel da mulher negra no trabalho escravo; classe e raça na campanha pelos direitos civis das mulheres; racismo no movimento sufragista; educação e libertação na perspectiva das mulheres negras; sufrágio feminino na virada do século; estupro e racismo; controle de natalidade e direitos reprodutivos; obsolescência das tarefas domésticas).

A perspectiva adotada por Davis realça o mérito do livro: desloca olhares viciados sobre o tema em tela e atribui centralidade ao papel das mulheres negras na luta contra as explorações que se perpetuam no presente, reelaborando-se. O reexame operado pela escrita dessa ativista mundialmente conhecida é indispensável para a compreensão da realidade do nosso país, pois reforça a práxis do feminismo negro brasileiro, segundo o qual a inobservância do lugar das mulheres negras nas ideias e projetos que pensaram e pensam o Brasil vem adiando diagnósticos mais precisos sobre desigualdade, discriminação, pobreza, entre outras variáveis. Grande parte da nossa tradição teórica e política (Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, para ficarmos em poucos exemplos) insiste em confinar as questões aqui tratadas por Davis na esfera privada, como se apenas desta proviesse sua solução.

A iniciativa da Boitempo de traduzir esta obra, ainda não publicada no Brasil, desponta como uma inestimável contribuição para disseminar as ideias imprescindíveis de Angela Davis (sabemos o quanto ela vem sendo estudada e difundida pelo feminismo negro e por setores da academia) e oferecer, assim, angulações e perspectivas pouco ou nada exploradas pelos empreendimentos voltados à compreensão da nossa intrincada realidade. Como aconselha Bobbio, para não sermos induzidos a crer que a história, a cada ciclo, recomeça do zero, é preciso ter paciência e saber escutar as lições dos clássicos. Em tempos sombrios, esse conselho soa como urgência política.

Dados Técnicos
Páginas: 248
Peso: 290g
ISBN: 9788575595039
Google Books Preview




A 30PorCento é uma livraria virtual cuja missão principal é potencializar, através dos livros, a renovação do pensamento crítico brasíleiro. Oferecemos livros com desconto em todo nosso catálogo.

Frete: além do Sedex e das entregas de Bicicleta, utilizamos também uma categoria especial e econômica para postagem de livros no correio chamada Impresso com Registro Módico, cujo preço é fixo, por peso, para qualquer cidade do Brasil.



Link para a revista literária O Benedito.

> 7LETRAS
> ALEPH
> ALFAGUARA
> AMARILYS
> ANNABLUME
> ATELIE
> AUTENTICA
> BEM-TE-VI
> BIBLIOTECA AZUL
> BLUCHER
> BOITEMPO
> CARAMBAIA
> COMPANHIA DAS LETRAS
> CORTEZ
> COSACNAIFY
> DISCURSO EDITORIAL
> EDIÇÕES LOYOLA
> EDIPRO
> EDITORA 34
> EDITORA UFRJ
> EDITORA UFV
> EDIÇÕES 70
> EDUEL
> EDUEM
> EDUERJ
> EDUSP
> ESTAÇÃO LIBERDADE
> EXPRESSÃO POPULAR
> GLOBAL
> HEDRA
> HUMANITAS
> ILUMINURAS
> INSTITUTO MOREIRA SALLES
> INSTITUTO PIAGET
> MANOLE
> MARTINS FONTES
> MERCADO DE LETRAS
> MUNDARÉU
> NOVA ALEXANDRIA
> NOVA FRONTEIRA
> MUSA
> OCTAVO
> PALAS ATHENA
> PAZ E TERRA
> PERSPECTIVA
> PONTES
> RADIO LONDRES
> SENAC
> SESC SP
> TINTA DA CHINA
> TODAVIA
> TORDESILHAS
> UBU EDITORA
> UNESP
> UNICAMP
> VOZES
> WMF MARTINS FONTES
> ZAHAR
+ editoras




Blog Não Gosto de Plágio - a polêmica do plágio de traduções literárias no Brasil, por Denise Bottmann