O que resta de Auschwitz, livro de Giorgio Agamben

O que resta de Auschwitz


R$ 29,40
preço de capa: R$ 42,00
economia de: R$ 12,60 (30%)
   adicionar ao carrinho
editora: BOITEMPO
assunto:
condição: Livro novo
prazo: Sob encomenda. Envio em 1 dia útil + frete (grátis nas compras acima de R$149 para todo o Brasil)
  • O capitalismo como religião, livro de Walter Benjamin, Michael Löwy (org.)

    O capitalismo como religião

    Walter Benjamin, Michael Löwy (org.)

    R$ 48,00
    R$ 33,60


  • Pequeno Manual de Inestética, livro de Alain Badiou

    Pequeno Manual de Inestética

    Alain Badiou

    R$ 40,00
    R$ 28,00


  • ESTADO DE EXCECAO, livro de Giorgio Agamben

    ESTADO DE EXCECAO

    Giorgio Agamben

    R$ 37,00
    R$ 25,90


  • Tempo, trabalho e dominação social, livro de Moishe Postone

    Tempo, trabalho e dominação social

    Moishe Postone

    R$ 62,00
    R$ 43,40


  • Manuscritos econômico-filosóficos, livro de Karl Marx

    Manuscritos econômico-filosóficos

    Karl Marx

    R$ 42,00
    R$ 29,40


  • O homem sem conteúdo, livro de Giorgio Agamben

    O homem sem conteúdo

    Giorgio Agamben

    R$ 54,90
    R$ 43,92


  • Profanações, livro de Giorgio Agamben

    Profanações

    Giorgio Agamben

    R$ 36,00
    R$ 25,20


Descrição
Como narrar o inenarrável ou testemunhar sobre algo que está além da compreensão humana? O que resta de Auschwitz, de Giorgio Agamben, procura, a partir de uma análise profunda do papel do testemunho como documento histórico e de seus limites enquanto relato pessoal, entender as dimensões da produção escrita dos sobreviventes do Holocausto nazista. Não se trata, portanto, de um livro sobre as circunstâncias materiais relacionadas ao maior campo de concentração de Hitler. O que resta de Auschwitz investiga as dificuldades do testemunho quando este envolve a perda de referenciais básicos num espaço marcado pela total ausência de normas, onde o esforço pela identificação de algo parecido com uma lógica de funcionamento não só se mostrava vão, como também poderia significar a não-sobrevivência.

O relato do escritor Primo Levi, sobrevivente de Auschwitz, é matéria-prima para a análise de Agamben. Levi se coloca como testemunha e condiciona sua sobrevivência à necessidade de contar essa história. Já os chamados ?muçulmanos? ? prisioneiros que perderam sua condição de homens e foram reduzidos a cadáveres ambulantes ? são os únicos que poderiam dar testemunho verdadeiro do terror, se já não estivessem privados da linguagem.

Agamben coloca que o valor do testemunho está essencialmente no que lhe falta, no que não pode ser dito por homens que já não o são. Em suas palavras, ?Auschwitz marca o fim e a ruína de qualquer ética da dignidade e da adequação a uma norma. A vida nua, a que o homem foi reduzido?.

A obra, que faz parte da coleção Estado de Sítio e traz apresentação de Jeanne Marie Gagnebin, recupera conceitos presentes nos anteriores Estado de Exceção e Homo Sacer. Trata-se de leitura fundamental, onde Auschwitz é apresentado como o espaço de uma experiência em que se fundem as fronteiras entre o humano e o inumano, a vida e a morte, colocando à prova a reflexão de nosso tempo, que mostra sua insuficiência por deixar aparecer, entre suas ruínas, o perfil incerto de uma nova ética.

Sobre o autor
Giorgio Agamben, filósofo italiano, é graduado em direito. Atualmente é professor de estética na Facoltà Di Design e Arti della IUAV, em Veneza. Lecionou na Universidade de Verona e na New York University. Foi diretoda Collège International de Philosophie de Paris e aluno de Martin Heidegger. Dedica-se ao estudo das relações entre política, filosofia, literatura e poesia. Entre seus livros publicados no Brasil estão Homo Sacer (UFMG, 2002), Estado de exceção (2004) e Profanações (2007), ambos pela Boitempo.


Dados Técnicos
Peso: 360g
ISBN: 9788575591208
Google Books Preview
Busca por Artigos d'O Benedito
Book GlyphHistórias de fantasma – uma leitura sobre a ciência sem nome de Aby Warburg
...ciência, que certa vez ele definiu como “histórias de fantasma para gente grande”. Giorgio Agamben é um dos muitos intelectuais que estudaram em meio às prateleiras da Biblioteca Warburg – a biblioteca...


Book GlyphEstado de Exceção
...ncia e a atualidade da discussão sobre o tema sugerida pelo filósofo italiano Giorgio Agamben, Èlida Gomes de Oliveira pontua: “O título desta obra [Estado de exceção] origina-se...


Book GlyphSobrevivência dos vaga-lumes
...como o são metaforicamente os próprios vaga-lumes] em textos, sobretudo, de Walter Benjamin, Giorgio Agamben, Aby Warburg, Georges Bataille, Hannah Arendt. A metáfora dos vaga-lumes [lucciole] é retomada a partir...






A 30PorCento é uma livraria virtual cuja missão principal é potencializar, através dos livros, a renovação do pensamento crítico brasíleiro. Oferecemos livros com desconto em todo nosso catálogo.

Frete: além do Sedex e das entregas de Bicicleta, utilizamos também uma categoria especial e econômica para postagem de livros no correio chamada Impresso com Registro Módico, cujo preço é fixo, por peso, para qualquer cidade do Brasil.



Link para a revista literária O Benedito.

> 7LETRAS
> ALEPH
> ALFAGUARA
> AMARILYS
> ANNABLUME
> ATELIE
> AUTENTICA
> BEM-TE-VI
> BIBLIOTECA AZUL
> BLUCHER
> BOITEMPO
> CARAMBAIA
> COMPANHIA DAS LETRAS
> CORTEZ
> COSACNAIFY
> DISCURSO EDITORIAL
> EDIÇÕES LOYOLA
> EDIPRO
> EDITORA 34
> EDITORA UFRJ
> EDITORA UFV
> EDIÇÕES 70
> EDUEL
> EDUEM
> EDUERJ
> EDUSP
> ESTAÇÃO LIBERDADE
> EXPRESSÃO POPULAR
> GLOBAL
> HEDRA
> HUMANITAS
> ILUMINURAS
> INSTITUTO MOREIRA SALLES
> INSTITUTO PIAGET
> MANOLE
> MARTINS FONTES
> MERCADO DE LETRAS
> MUNDARÉU
> NOVA ALEXANDRIA
> NOVA FRONTEIRA
> MUSA
> OCTAVO
> PALAS ATHENA
> PAZ E TERRA
> PERSPECTIVA
> PONTES
> RADIO LONDRES
> SENAC
> SESC SP
> TINTA DA CHINA
> TORDESILHAS
> UNESP
> UNICAMP
> VOZES
> WMF MARTINS FONTES
> ZAHAR
+ editoras




Blog Não Gosto de Plágio - a polêmica do plágio de traduções literárias no Brasil, por Denise Bottmann