Marx, Zola e a Prosa Realista, livro de Salete de Almeida Cara

Marx, Zola e a Prosa Realista

editora: ATELIE
A avaliação do naturalismo nunca foi assunto simples. E os romances do ciclo dos Rougon-Macquart, de Émile Zola, também não facilitaram nem um pouco a vida do leitor conservador, amante de uma literatura interessada nas belas e profundas emoções individuais e pouco afeita aos fundamentos dos rumos predatórios da modernização, aos quais, aliás, as emoções não são alheias. Mesmo críticos materialistas responderam com lentidão à sua recusa de uma visão mecanicista e de uma noção do trágico como fatalidade. O ciclo expõe um tempo histórico preciso, o Império de Napoleão III, a partir dos result... [Leia mais]
R$ 44,00
preço de capa: R$ 55,00
economia de: R$ 11,00 (20%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$14,67 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
A avaliação do naturalismo nunca foi assunto simples. E os romances do ciclo dos Rougon-Macquart, de Émile Zola, também não facilitaram nem um pouco a vida do leitor conservador, amante de uma literatura interessada nas belas e profundas emoções individuais e pouco afeita aos fundamentos dos rumos predatórios da modernização, aos quais, aliás, as emoções não são alheias. Mesmo críticos materialistas responderam com lentidão à sua recusa de uma visão mecanicista e de uma noção do trágico como fatalidade. O ciclo expõe um tempo histórico preciso, o Império de Napoleão III, a partir dos resultados da III República francesa que o sucedeu. A inserção desta prosa no seu tempo teve consequências na exposição implacável das formas da acumulação capitalista, das mercadorias e do consumo, do destino cruel de pobres e trabalhadores, da terra como fonte de renda e lucro, do conceito perverso de urbanização, da tensão constitutiva entre base monetária e superestrutura financeira sustentando negociatas internacionais desde 1850. No entanto, o romance de Zola sobre a Comuna de Paris não logrou constituir uma narrativa de vasto assunto. Ainda que circunscrita a seu tempo, a resposta formal de Émile Zola pede uma conversa sobre modos históricos do romance realista e sobre a relação entre ficção e ensaio.

Salete de Almeida Cara é professora livre-docente da FFLCH-USP, na área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa. Publicou seus mais recentes trabalhos sobre ensaio, crítica literária brasileira do século XIX e Machado de Assis, cronista e contista.

Dados Técnicos
Peso: 430g
ISBN: 9788574804538