Em Nome do Corpo, livro de Iacopo Pontormo

Em Nome do Corpo

editora: ATELIE
assunto:
Renascentista italiano menos conhecido entre nós do que seus pares, Iacopo Carucci (1494-1557) nasceu em Pontorme de Empoli, na província toscana, e mudou-se para Florença em 1508, ao ficar órfão. Pintor e retratista, Iacopo da Pontormo, como ficou conhecido, teve inicialmente como mestres Da Vinci, Mariotto Albertinelli, Piero di Cosimo e Andrea del Sarto, na oficina do qual ingressou em 1512, passando a trabalhar ao lado de Rosso Fiorentino. Autor de afrescos e quadros nas principais igrejas, capelas e claustros de Florença, foi aos poucos se distanciando do classicismo. Artista experimen... [Leia mais]
R$ 46,07
preço de capa: R$ 57,00
economia de: R$ 10,93 (19%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$15,36 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Renascentista italiano menos conhecido entre nós do que seus pares, Iacopo Carucci (1494-1557) nasceu em Pontorme de Empoli, na província toscana, e mudou-se para Florença em 1508, ao ficar órfão. Pintor e retratista, Iacopo da Pontormo, como ficou conhecido, teve inicialmente como mestres Da Vinci, Mariotto Albertinelli, Piero di Cosimo e Andrea del Sarto, na oficina do qual ingressou em 1512, passando a trabalhar ao lado de Rosso Fiorentino. Autor de afrescos e quadros nas principais igrejas, capelas e claustros de Florença, foi aos poucos se distanciando do classicismo. Artista experimental e inovador, Pontormo é considerado um dos principais representantes do maneirismo toscano. As formas esculturais, o movimento dos gestos e dos olhares, a audácia da gama cromática, a intensidade do patético, que caracterizam sua pintura, remetem a uma arte maneirista, desvinculada de qualquer referência imediata ao real. A não ser por raras visitas a Roma, com o objetivo de estudar as obras de Michelangelo, que sempre o elogiava, ele viveu sempre em Florença. Segundo Giorgio Vasari, Iacopo Carucci morava no alto de uma torre, acessível apenas por uma escada móvel, controlada por um sistema de correias e roldanas. Foi ali que nos três derradeiros anos de vida ele escreveu seu Diário, ou Meu Livro (título dado por S. Nigro à edição crítica que fez do manuscrito). Descoberto no início do século XX, além de ser único escrito autógrafo de Iacopo Pontormo a chegar aos nossos dias, é na realidade um produto híbrido, tanto no sentido estrutural como no conceitual. Nele se mesclam registros da dieta alimentar a que se submetia, anotações sobre atividades cotidianas, com desenhos indicativos do andamento de seu último trabalho artístico, os afrescos do coro da Basílica de San Lorenzo, em Florença. O Pontormo que salta dessas páginas e da "Carta ao Acadêmico Benedetto Varchi", na qual discorre sobre pintura, escultura e desenho, é tão genial, controverso e inesperado quanto o pintor, cuja obra vem sendo nas últimas décadas redescoberta e reavaliada pela crítica especializada.

Além da tradução para o português dos escritos do pintor e de outros materiais de caráter informativo, Em Nome do Corpo (organização, tradução e notas de Homero Freitas de Andrade) traz ensaios críticos do próprio tradutor, do historiador de arte e artista plástico Iacopo Cassigoli e do professor-leitor de língua e cultura italiana Paolo Spedicato, que propiciam ao leitor brasileiro uma visão da literatura e da pintura de Iacopo Pontormo, sobre o fundo do maneirismo toscano da primeira metade do século XVI.

Dados Técnicos
Peso: 301g
ISBN: 9788574802954