É tudo verdade, livro de Romildo Sant

É tudo verdade

Uma coisa é dizer «Tudo é verdade» (ou «Verdade é tudo») e outra «É tudo verdade». A maneira de enunciar sobredetermina a significação e, neste caso, dá uma rasteira no leitor que espera a interrogação. Não se interroga, afirma-se. O verbo ser, com a sua essência, substantiva o segundo termo da frase, que se faz nominal e concreta. E é por aí que Romildo Sant'Anna (e seus leitores) andam no arame esticado no espaço da crônica, equilibrando-se entre a linguagem que pretende o «real», o verossímil, o «verdadeiro» e, ao mesmo tempo, deseja outro tipo de real – o (in)verossímil, o «mentir... [Leia mais]
Descrição
Uma coisa é dizer «Tudo é verdade» (ou «Verdade é tudo») e outra «É tudo verdade». A maneira de enunciar sobredetermina a significação e, neste caso, dá uma rasteira no leitor que espera a interrogação. Não se interroga, afirma-se. O verbo ser, com a sua essência, substantiva o segundo termo da frase, que se faz nominal e concreta. E é por aí que Romildo Sant'Anna (e seus leitores) andam no arame esticado no espaço da crônica, equilibrando-se entre a linguagem que pretende o «real», o verossímil, o «verdadeiro» e, ao mesmo tempo, deseja outro tipo de real – o (in)verossímil, o «mentiroso», o da poesia. Romildo é um escritor capaz de saltos e prestidigitações: o grácil da sua escrita leva o leitor à levitação, ao circo da alegria, ao círculo de um prazer que só se obtém nos grandes escritores. Gilberto Mendonça Teles Poeta e ensaísta. «Prêmio Machado de Assis» (Academia Brasileira de Letras - 1989), «Troféu Juca Pato» – Intelectual do Ano 2002 (União Brasileira de Escritores e Folha de S.Paulo).

Dados Técnicos
Peso: 475g
ISBN: 9788574733340