A invenção da modernidade literária, livro de Constantino Luz de Medeiros

A invenção da modernidade literária


R$ 37,10
preço de capa: R$ 53,00
economia de: R$ 15,90 (30%)
editora: ILUMINURAS
prazo: Postagem em 1 dia útil + frete
Apenas 3 em estoque.
   adicionar ao carrinho
  • Mikhail Bakhtin, livro de Alastair Renfrew

    Mikhail Bakhtin

    Alastair Renfrew

    R$ 45,00
    R$ 36,90


  • Literatura e outras artes na América Latina, livro de Sidney Barbosa, Dennys Silva-Reis (orgs.)

    Literatura e outras artes na América Latina

    Sidney Barbosa, Dennys Silva-Reis (orgs.)

    R$ 62,00
    R$ 43,40


  • Rawet em discussão, livro de Stefania Chiarelli, Rosana Kohl Bienes, Anderson da Mata (orgs.)

    Rawet em discussão

    Stefania Chiarelli, Rosana Kohl Bienes, Anderson da Mat

    R$ 45,00
    R$ 31,50


  • Traduções para a primeira infância: o livro ilustrado traduzido no Brasil, livro de Lia Araujo Miranda de Lima, Germana Henriques Pereira

    Traduções para a primeira infância: o livro ilustrado traduzido no Brasil

    Lia Araujo Miranda de Lima, Germana Henriques Pereira

    R$ 42,00
    R$ 29,40


  • Literatura e sistemas intersemióticos, livro de Flávio R. Kothe

    Literatura e sistemas intersemióticos

    Flávio R. Kothe

    R$ 86,00
    R$ 60,20


  • Escritor por escritor: Machado de Assis segundo seus pares (1908-1939), livro de Helio de Seixas Guimares, Ieda Lebensztayn

    Escritor por escritor: Machado de Assis segundo seus pares (1908-1939)

    Helio de Seixas Guimares, Ieda Lebensztayn

    R$ 80,00
    R$ 56,00


  • Poéticas sob suspeita , livro de Lourdes Kaminski Alves, Alai Garcia Diniz, Carmen Luna Sellés (orgs.)

    Poéticas sob suspeita

    Lourdes Kaminski Alves, Alai Garcia Diniz, Carmen Luna

    R$ 68,00
    R$ 47,60


Descrição
Friedrich Schlegel e o romantismo alemão “O arquétipo da humanidade nos degraus mais elevados da formação antiga é a única base possível de toda a formação moderna.” Assim lemos no texto de 1795, “Do valor do estudo dos gregos e romanos”, de autoria de Friedrich Schlegel. Nesse momento ainda estava sendo gestada a grande ruptura que logo aconteceria. Foi superando essa relação de profundo respeito e de idealização pelo passado clássico que esse poeta e teórico da poesia, ao lado de seu irmão August Schlegel e de Novalis, vieram a fundar a nossa modernidade literária e artística. O chamado Primeiro Romantismo Alemão foi um movimento que gestou a nossa autoimagem, e está na origem de questões e debates que nos atingem até hoje. O romantismo foi um movimento de ruptura profundo, vertiginoso, quando, após a Revolução Francesa, ficou claro que, para nos formarmos, em vez de olhar para o modelo passado, deveríamos olhar para o futuro. O mundo ficou de ponta-cabeça. Mas essa virada não foi tão simples, e a importância desta obra de Constantino Luz de Medeiros consiste em justamente ajudar a entender esse momento de convulsão e de fundação. Ele nos mostra como no cerne dessa mensagem do Primeiro Romantismo está não a resposta conservadora à perda de chão que foi a Revolução, mas sim o seu aprofundamento e desdobramento. Incorporar a Revolução significava pensar o Eu como processo, eterno movimento de construção e desconstrução. Daí a importância atribuída por esses pensadores ao campo artístico (como máquina de criar e demolir mitos); daí a importância dada a eles ao Witz (o chiste), que, na contramão do juízo valorizado por Kant, rompe com a cadeia de pensamento lógico dedutivo e cria a partir do caos; daí também a valorização da Verstellung (dissimulação), da ironia, do fragmento e da tradução. Pela primeira vez a tradução é tratada como um verdadeiro gênero do discurso, que, por ser uma imitação que necessariamente desvia, pode ser usada para por em questão a concepção estanque das identidades. August W. Schlegel deu um acabamento delicioso a essa valorização desconstrutora do que normalmente é visto como sendo secundário no fragmento 110 da revista Athenäum: “É um gosto sublime sempre preferir as coisas à segunda potência. Por exemplo, cópias de imitações, julgamentos de resenhas, adendos a acréscimos, comentários a notas”. Não seria ousado ver nessas ideias e nesses pensadores o germe da nossa antropofagia modernista, irônica, devoradora e apropriadora do “outro” como meio de (des)construção do próprio, como demonstra esse passeio pelo mundo oscilante do Primeiro Romantismo que Constantino nos descortina aqui com rigor e segurança. Márcio Seligmann-Silva

Dados Técnicos
Páginas: 208
Peso: 320g
ISBN: 9788573215748
Google Books Preview





A 30PorCento é uma livraria virtual cuja missão principal é potencializar, através dos livros, a renovação do pensamento crítico brasíleiro. Oferecemos livros com desconto em todo nosso catálogo.

Frete: além do Sedex e das entregas de Bicicleta, utilizamos também uma categoria especial e econômica para postagem de livros no correio chamada Impresso com Registro Módico, cujo preço é fixo, por peso, para qualquer cidade do Brasil.

Política de troca e devolução: produtos vendidos e enviados pela Livraria 30porcento podem ser devolvidos em até 30 dias após o recebimento do pedido. Para receber o reembolso total, os produtos devolvidos devem estar em condições de novo. Produtos com defeito podem ser devolvidos no prazo de garantia legal solicitados por email em até 30 dias.


Link para a revista literária O Benedito.

> 7LETRAS
> ALEPH
> ALFAGUARA
> AMARILYS
> ANNABLUME
> ATELIE
> AUTENTICA
> AUTONOMIA LITERÁRIA
> BEM-TE-VI
> BIBLIOTECA AZUL
> BLUCHER
> BOITEMPO
> CARAMBAIA
> COMPANHIA DAS LETRAS
> CORTEZ
> COSACNAIFY
> DISCURSO EDITORIAL
> EDIÇÕES LOYOLA
> EDIPRO
> EDITORA 34
> EDITORA UFRJ
> EDITORA UFV
> EDIÇÕES 70
> EDUEL
> EDUEM
> EDUERJ
> EDUFPA
> EDUSP
> ELEFANTE
> ESTAÇÃO LIBERDADE
> EXPRESSÃO POPULAR
> GLOBAL
> HEDRA
> HUMANITAS
> ILUMINURAS
> INSTITUTO MOREIRA SALLES
> INSTITUTO PIAGET
> MANOLE
> MARTINS FONTES
> MERCADO DE LETRAS
> MUNDARÉU
> NOVA ALEXANDRIA
> NOVA FRONTEIRA
> MUSA
> OCTAVO
> PALAS ATHENA
> PAZ E TERRA
> PERSPECTIVA
> PONTES
> RADIO LONDRES
> SENAC
> SESC SP
> TINTA DA CHINA
> TODAVIA
> TORDESILHAS
> UBU EDITORA
> UNESP
> UNICAMP
> VOZES
> WMF MARTINS FONTES
> ZAHAR
+ editoras




Blog Não Gosto de Plágio - a polêmica do plágio de traduções literárias no Brasil, por Denise Bottmann