Os intelectuais cubanos e a política cultural da Revolução 1961-1975, livro de Silvia Cezar Miskulin

Os intelectuais cubanos e a política cultural da Revolução 1961-1975

editora: ALAMEDA
assunto:
Após um florescimento cultural nascido com a revolução de 1959, as relações entre os intelectuais e o governo cubano passaram a se pautar por tensões crescentes, mostra a historiadora Sílvia Miskulin em Os intelectuais cubanos. A vitória dos revolucionários encabeçados por Fidel Castro inaugurou um período de grande agitação política e artística. Surgiram novas instituições e publicações, abrindo grandes possibilidades de trabalho aos intelectuais e artistas. Neste livro, são enfocados os conflitos no meio intelectual e artístico a partir da análise das trajetórias e publicações da editora ... [Leia mais]
R$ 43,93
preço de capa: R$ 54,00
economia de: R$ 10,07 (19%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$14,64 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Após um florescimento cultural nascido com a revolução de 1959, as relações entre os intelectuais e o governo cubano passaram a se pautar por tensões crescentes, mostra a historiadora Sílvia Miskulin em Os intelectuais cubanos. A vitória dos revolucionários encabeçados por Fidel Castro inaugurou um período de grande agitação política e artística. Surgiram novas instituições e publicações, abrindo grandes possibilidades de trabalho aos intelectuais e artistas. Neste livro, são enfocados os conflitos no meio intelectual e artístico a partir da análise das trajetórias e publicações da editora El Puente (1961-1965) e do suplemento cultural El Caimán Barbudo (1966-1975).

Tanto para o governo revolucionário quanto para os artistas e intelectuais, a cultura era uma excelente maneira de influenciar a população. O governo criou jornais, editoras, suplementos literários e a patrocinou a produção pictórica, musical e cinematográfica.

Todavia, as tensões entre o governo e os intelectuais aumentaram com o tempo e o aprofundamento do processo revolucionário. De um lado, o desejo de liberdade e de busca de experimentações; do outro a política oficial do Estado, cada vez mais estrita e disciplinadora, marcando o período como uma época cheia de tensões e medos. Muitos indivíduos que afrontavam ou questionavam abertamente o governo sofreram perseguições, foram presos e acabaram por se exilar; outros permaneceram na ilha e se adaptaram, como puderam, às limitações impostas pelo Estado.

Os intelectuais cubanos se revela um estudo aprofundado sobre um tema controvertido, através de análises de diálogos, embates e confrontos ideológicos de grupos dissonantes de uma das mais discutidas revoluções do mundo contemporâneo.

Sobre a autora

Sílvia Cezar Miskulin é Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo. É autora, entre outros trabalhos, de Cultura Ilhada: imprensa e Revolução Cubana (São Paulo, Xamã/ Fapesp, 2003) e atualmente desenvolve projeto de Pós-Doutorado sobre revistas mexicanas, no Departamento de História da USP, com financiamento da FAPESP.

Dados Técnicos
Peso: 382g
ISBN: 9788598325897