Autoridade e conflito no Brasil colonial: o governo Morgado de Mateus em São Paulo (1765-1775), livro de Heloisa Liberalli Bellotto

Autoridade e conflito no Brasil colonial: o governo Morgado de Mateus em São Paulo (1765-1775)

editora: ALAMEDA
assunto:
Mais importante governador da Capitania de São Paulo durante o período colonial, D. Luís Antonio de Souza Botelho Mourão, o Morgado de Mateus, é analisado em profundidade neste estudo clássico de Heloísa Bellotto, que, após trinta anos, ganha uma segunda edição, revista pela autora.

Polêmico e enérgico, o Morgado de Mateus foi enviado pelo Marquês de Pombal para reorganizar a Capitania de São Paulo. Durante seus dez anos de governo (1765-1775), consolidou a autonomia da Capitania e fundou pelo menos vinte cidades, além de ajudar a estabelecer os limites geográficos das regiõe... [Leia mais]
R$ 45,36
preço de capa: R$ 56,00
economia de: R$ 10,64 (19%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$15,12 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Mais importante governador da Capitania de São Paulo durante o período colonial, D. Luís Antonio de Souza Botelho Mourão, o Morgado de Mateus, é analisado em profundidade neste estudo clássico de Heloísa Bellotto, que, após trinta anos, ganha uma segunda edição, revista pela autora.

Polêmico e enérgico, o Morgado de Mateus foi enviado pelo Marquês de Pombal para reorganizar a Capitania de São Paulo. Durante seus dez anos de governo (1765-1775), consolidou a autonomia da Capitania e fundou pelo menos vinte cidades, além de ajudar a estabelecer os limites geográficos das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste – que, em linhas gerais, resultaram nos limites dos atuais estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Autoridade e conflito no Brasil colonial enfoca o período em que, após 17 anos sob jurisdição do Rio de Janeiro (1748-1765), o governo da capitania de São Paulo, restaurado pelo Morgado de Mateus, incrementou a agricultura e atuou para a efetiva conquista e defesa dos territórios meridionais. Mas Morgado de Mateus também entrou em conflito com as autoridades metropolitanas e coloniais quanto à estratégia militar em relação aos espanhóis no Sul do país. Discordando da simples ação no extremo Sul, implementou a ocupação e fortificação a Oeste, com o estabelecimento da praça militar do Iguatemi, no atual estado do Mato Grosso do Sul.

A publicação deste trabalho pioneiro, há muito esgotado, possibilitará, aos que se interessam pela História de São Paulo e da formação do territorial brasileira, a reflexão sobre esse momento decisivo da Capitania.

Sobre a autora

Heloísa Liberalli Belloto possui doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado pelo Arquivo Histórico Ultramarino (Portugal). É professora da Universidade de São Paulo e professora visitante da Universidad Internacional de Andalusia (Espanha).

Sumário

Índice

Introdução

O espaço, o homem e o instrumento
A Capitania de São Paulo: evolução, extinção e restauração
D. Luís Antonio de Souza Botelho Mourão, Morgado de Mateus
As instruções de governo

O exercício da direção
Primeiras providências, posse e proposições
Militarização
Exploração e conquistas territoriais
Política de urbanização
Política econômica
Outras atividades administrativas
Resistência e reação

A ruptura na ação
Socorros ao Sul versus “diversão” pelo Oeste
Iguatemi em xeque
Intriga e oposição
A substituição no governo

A defesa de um processo administrativo
Balanço do governo
Luta contra o ostracismo

Considerações finais

Documentação
Abreviaturas
Fontes manuscritas
fontes impressas
Bibliografia consultada

Dados Técnicos
Peso: 540g
ISBN: 9788598325545