Construindo Pontes e Estradas no Brasil Império, livro de Télio Anísio Cravo

Construindo Pontes e Estradas no Brasil Império

editora: ALAMEDA
O livro apresenta os resultados de pesquisa que promoveu um raro encontro entre três campos historiográficos. Combinou sólida abordagem em História Regional – o caso de Minas Gerais no século XIX – com a ênfase em certos aspectos da História dos Transportes – a infraestrutura viária sob a intervenção do Governo Provincial – e com a percuciente incursão na História da Técnica – nomeadamente a teoria e a prática de agentes técnicos modernos. O estudo representa contribuição à compreensão do período de transição de estrutura viária pré-moderna para sistema de transporte moderno. Na contramão d... [Leia mais]
R$ 60,40
preço de capa: R$ 72,00
economia de: R$ 11,60 (16%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$20,13 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
O livro apresenta os resultados de pesquisa que promoveu um raro encontro entre três campos historiográficos. Combinou sólida abordagem em História Regional – o caso de Minas Gerais no século XIX – com a ênfase em certos aspectos da História dos Transportes – a infraestrutura viária sob a intervenção do Governo Provincial – e com a percuciente incursão na História da Técnica – nomeadamente a teoria e a prática de agentes técnicos modernos. O estudo representa contribuição à compreensão do período de transição de estrutura viária pré-moderna para sistema de transporte moderno. Na contramão da percepção do senso comum e da visão de boa parcela da historiografia dos transportes, a era ferroviária brasileira caracterizou-se pela persistência ampliada das vias e meios tradicionais, ante a constituição de malha de trilhos que vertebrou pequena parte do território, ao promover a integração de zonas agroexportadoras com mercados externos. Muares, cavalos e carros de tração animal continuaram a suportar a maior parte da circulação e a estabelecer a integração possível do mercado interno com base em transportes não modernos. A crescente racionalização das agências públicas provinciais, a progressiva importação e adaptação de técnicas avançadas (Engenharia) e a projeção e consolidação de profissionais de corte moderno (engenheiros) assegurariam a funcionalidade da muito provável maior infraestrutura viária tradicional do Brasil imperial. Por tudo, não será difícil encontrar os méritos que facultaram ao autor o Prêmio de Melhor Dissertação de Mestrado em História das Ciências em 2014, conferido pela Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC).

Dados Técnicos
Páginas: 408
Peso: 481g
ISBN: 9788579393945