Cultura Alimentar Paulista, A: Uma Civilização do Milho? - (1650-1750), livro de Rafaela Basso

Cultura Alimentar Paulista, A: Uma Civilização do Milho? - (1650-1750)

editora: ALAMEDA
Ao se debruçar sobre a alimentação dos habitantes do Planalto de Piratininga do século XVII e início do XVIII, Rafaela Basso nos revela um mundo novo que gravita em torno da cultura e processamento do milho como elemento decisivo a sustentar a conquista e ocupação dos sertões paulistas. Inicialmente considerado como alimento de animais e de bugres, o milho sofre uma marginalidade que só é superada à medida em que vai mostrando sua funcionalidade nas tropelias da conquista sertaneja. Com o advento dos monjolos no século XVIII e a fabricação da farinha de milho, segundo técnicas indígenas, ... [Leia mais]
R$ 39,36
preço de capa: R$ 48,00
economia de: R$ 8,64 (18%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$13,12 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Ao se debruçar sobre a alimentação dos habitantes do Planalto de Piratininga do século XVII e início do XVIII, Rafaela Basso nos revela um mundo novo que gravita em torno da cultura e processamento do milho como elemento decisivo a sustentar a conquista e ocupação dos sertões paulistas. Inicialmente considerado como alimento de animais e de bugres, o milho sofre uma marginalidade que só é superada à medida em que vai mostrando sua funcionalidade nas tropelias da conquista sertaneja. Com o advento dos monjolos no século XVIII e a fabricação da farinha de milho, segundo técnicas indígenas, o alimento vai ganhando cidadania até chegar a ser - como ainda é hoje - um dos pilares da alimentação sertaneja. Rafaela Basso, numa acurada pesquisa,passa em revista a historiografia sobre a alimentação paulista e suas principais teses e, com base em fontes primárias, visita criticamente a obra de Sérgio Buarque de Holanda, corrigindo, aqui e ali, aspectos relacionados com a datação de suas conclusões. O resultado disso é que o milho, visto desde o interior dos domicílios, em confronto com o trigo e a mandioca, ou ainda na faina sertanista, aparece como personagem novo na adaptação dos colonizadores às novas terras. Em outras palavras, aoreconstruir a diversidade de soluções alimentares no período colonial, Rafaela questiona a historiografia da alimentação brasileira, nos levando ao encontro de novas veredas para a investigação, sacudindo o edifício das certezas estabelecidas. Não éde outra maneira que evolui o estudo das sociedades humanas. Sobre a autora: Rafaela Basso possui graduação (2008) e mestrado (2012) em História pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, desenvolve na mesma universidade sua pesquisa de doutorado sobre a alimentação de rua na cidade de São Paulo (1765-1828). Foi professora no curso de "Gastronomia: História e Cultura" na pós-graduação do Senac-SP (2013). Tem experiência na área de História, Museus e Arquivos. É historiadora do Centrode Memória e Arquivo da FCM/Unicamp.

Dados Técnicos
Páginas: 222
Peso: 320g
ISBN: 9788579392771