Eros Alegórico da Melancolia e do Progresso: Oswald de Andrade em os Condenados, livro de Sandro Roberto Maio

Eros Alegórico da Melancolia e do Progresso: Oswald de Andrade em os Condenados

editora: ALAMEDA
Este livro trata da trilogia do exílio de Oswald de Andrade. Agrupados em 1941 sob o título de Os condenados, o livro reúne três romances articulados sobre uma unidade estilística, temática e de personagens: Alma, de 1922, A estrela de absinto, de 1927 e A escada, de 1934. Pouco abordado pela crítica, cujos olhares se fixaram na poesia, nos manifestos e nos romances posteriores, Sandro Maior se debruça sobre Os condenados para fazer uma leitura inusitada e original. Na contramão do interessedominante da crítica literária, o autor do ensaio sobre Oswald resgata o obscuro romance de estrei... [Leia mais]
R$ 32,50
preço de capa: R$ 38,00
economia de: R$ 5,50 (14%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$10,83 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
Este livro trata da trilogia do exílio de Oswald de Andrade. Agrupados em 1941 sob o título de Os condenados, o livro reúne três romances articulados sobre uma unidade estilística, temática e de personagens: Alma, de 1922, A estrela de absinto, de 1927 e A escada, de 1934. Pouco abordado pela crítica, cujos olhares se fixaram na poesia, nos manifestos e nos romances posteriores, Sandro Maior se debruça sobre Os condenados para fazer uma leitura inusitada e original. Na contramão do interessedominante da crítica literária, o autor do ensaio sobre Oswald resgata o obscuro romance de estreia do poeta modernista que, desta forma, se abre a uma sensível investigação. Dele se erguerem duas leituras conflitantes acerca da modernidade: uma visão simbólica mantenedora da aura do poeta em contraponto a uma visão alegórica que atravessa a aura do romance com aquilo que há de residual e mercadológico no universo poético. Tomando como paralelo teórico as obras do sociólogo alemão Walter Benjamin que tratam do poeta francês do século XIX, Charles Baudelaire, e de sua recepção crítica de leitura, Sandro Maio constrói um puzzle com imagens tanto conceituais como técnicas. Assim entram em cena conceitos como reprodutibilidade, ruína, melancolia, autenticidade, experiência, entre outros que se ficcionalizam na obra modernista. São esses conceitos que, simbólica e alegoricamente, ajudam o autor a interpretar a crise da representação entre o ideal romântico da arte e a visão industrial deum herói condenado a carregar uma aura suja de lama.

Dados Técnicos
Páginas: 56
Peso: 150g
ISBN: 9788579391637