Discurso e ensino - práticas de linguagem na escola, livro de Carmen Zink Bolognini, Claudia Pfeiffer e Suzy Lagazzi (Orgs.)

Discurso e ensino - práticas de linguagem na escola

assunto:
Ao colocarmos em reflexão práticas na linguagem dentro do espaço escolar, abordamos a língua a partir do campo de conhecimento da Análise de Discurso. Isso significa considerar a língua em seu funcionamento no meio das práticas sociais. Nesse sentido, o ensino da língua portuguesa se constitui como uma dessas práticas, de modo que a concepção de língua não se restringe ao ensino de português, mas remete ao funcionamento da linguagem em um sentido mais amplo.

Dessa perspectiva, a questão da metodologia deixa de ter um caráter de fundamento central na prática do ensino, sendo con... [Leia mais]
R$ 38,93
preço de capa: R$ 47,00
economia de: R$ 8,07 (17%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$12,98 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Ao colocarmos em reflexão práticas na linguagem dentro do espaço escolar, abordamos a língua a partir do campo de conhecimento da Análise de Discurso. Isso significa considerar a língua em seu funcionamento no meio das práticas sociais. Nesse sentido, o ensino da língua portuguesa se constitui como uma dessas práticas, de modo que a concepção de língua não se restringe ao ensino de português, mas remete ao funcionamento da linguagem em um sentido mais amplo.

Dessa perspectiva, a questão da metodologia deixa de ter um caráter de fundamento central na prática do ensino, sendo considerada como um dos elementos que fazem parte da relação do sujeito (professor e aluno) com a língua. Por isso, esse livro tem como eixo central trabalhar a relação entre o sujeito e a linguagem, levando a uma compreensão discursiva da língua não reduzida a um instrumento de comunicação, desfazendo alguns dos imaginários que sustentam a demanda pelo sentido único e verdadeiro (correto) e que, conseqüentemente, sustentam a evidência de que, dominado o código, todos têm condições inequívocas de ler corretamente. Dentro desse imaginário, a leitura, a atribuição de sentidos, é marcada constantemente por uma dupla angústia: a de alcançar o sentido verdadeiro daquilo que está lá (no texto, na imagem, no som, no gesto etc.) e a de fazer com que o outro também alcance esse mesmo sentido/interpretação. O esforço do conjunto dos textos aqui reunidos é o de mostrar, por diferentes ancoragens analíticas, que a língua não é transparente e que a ambigüidade é produtiva nos processos de significação. No presente livro, o processo de leitura é colocado como um objeto de análise que deve ser observado por todas as áreas disciplinares. Desse modo, interessa abordar, em um texto, não o que se diz, mas como se diz o que se diz, passando assim da ênfase nos conteúdos dos textos para o lugar de leitura do aluno e do professor.

Trabalhamos, sobretudo, com os sentidos produzidos a partir do lugar de atuação do professor, procurando dar visibilidade a processos de significação que constituem historicamente esse lugar e que reaparecem no cotidiano da sala de aula. Isso significa descentralizar a discussão já tradicional do “lugar do aluno” para abrir espaços de elaboração sobre o lugar do professor: suas preocupações, dúvidas, questionamentos, as condições de trabalho e seus anseios, no que isso toca em seu trabalho com a língua.

Apresentação

A linguagem em seu funcionamento discursivo na escola, este livro reúne artigos que tomam a sala de aula como um espaço de movimento dos sentidos. Isso significa falar do caráter fluido da linguagem, da possibilidade de deslocamento que as diferentes formas significantes trazem. E significa também falar da escola nas reconfigurações de suas práticas.

Escolhemos falar da leitura enfocando o trabalho simbólico que a constitui, e a apresentamos em diferentes propostas. Percursos vários que mobilizam a relação do sujeito com a linguagem em condições de produção bastante diversas. Encontramos a leitura considerada diante de estatísticas publicadas em jornais; trabalhada na divertida proposta de uma investigação policial com base na estória Chapeuzinho Vermelho; remetida a um quadrinho da irreverente personagem Mafalda; discutida em relatos de alunos e professores; vivenciada na interessante montagem de ikebanas; analisada em uma cena do marcante filme 2001, Uma Odisseia no Espaço; focada em versões do relato histórico do viajante alemão Hans Staden.

O trabalho simbólico da leitura demanda uma interpretação ante interpretações possíveis. Na tensão entre a unidade imaginária de uma interpretação e a polissemia constitutiva que permite outras leituras, temos uma discussão muito sedutora. Os limites que o texto impõe em sua materialidade e a dispersão que redesenha esses limites no processo da leitura se apresentam como um contraponto instigante. Levamos a sério o fato de que somos sujeitos de linguagem, e que, portanto, nunca estamos fora do simbólico. Levamos às consequências o fato de que nossa relação com o mundo, com as pessoas, com a sociedade se dá como práticas na linguagem. Por isso, entendemos a leitura como uma prática cotidiana, o que permite seu redimensionamento na sala de aula. O próprio espaço físico da sala de aula pode ser imaginariamente movido, e isso acontece nas práticas propostas neste livro. As diferentes materialidades que compõem os diversos trajetos de leitura aqui apresentados ampliam o jogo significante. O verbal e o visual se unem neste livro em processos de textualização que ressaltam a conjunção fundamental entre a materialidade significante e a história, nas muitas determinações que tornam possível o dizer na escola. Compreender essas determinações e trabalhá-las como condições para a produção da interpretação, buscando deslocamentos possíveis, faz parte do trabalho discursivo da leitura. Deixamos o nosso convite para a leitura deste livro e nossa vontade de que as práticas aqui discutidas possam ajudar a fazer história(s) na sala de aula.

Os autores

Carmen Zink Bolognini – professora doutora DLA/IEL/Unicamp.
Carolina Fedatto – doutoranda em Linguística/Unicamp
Cássia Cristina Furlan – doutoranda em Linguística Aplicada/Unicamp.
Claudia Castellanos Pfeiffer – pesquisadora (Labeurb) e professora doutora DL/IEL/Unicamp.
Cristiane Megid – doutoranda em Linguística Aplicada/Unicamp.
Marisa Ganança – doutora em Linguística/Unicamp
Simone Hashiguti – professora doutora na Universidade Federal de Uberlândia.
Suzy Lagazzi – professora doutora DL/IEL/Unicamp.

Dados Técnicos
Peso: 330g
ISBN: 9788575911174