Pluralidade urbana em São Paulo - Vulnerabilidade, marginalidade, ativismos, livro de Lúcio Kowarick, Heitor Frúgoli Jr. (org.)

Pluralidade urbana em São Paulo - Vulnerabilidade, marginalidade, ativismos

editora: EDITORA 34
São Paulo, atualmente com 11,5 milhões de habitantes, foi a cidade que mais cresceu durante o século XX em comparação às metrópoles europeias e norte-americanas. Apesar de significativas melhorias na infraestrutura urbana - rede de água e esgoto, coleta de lixo etc. -, ela concentra um crescente número de favelados, cerca de 1,5 milhão, 1 milhão de moradores em cortiços, além de 2 milhões de pessoas que habitam nas áreas de proteção de mananciais, nas bordas das represas Guarapiranga e Billings. É uma metrópole que conjuga grupos ricos e outros extremamente mais numerosos compostos por cama... [Leia mais]
R$ 64,80
preço de capa: R$ 81,00
economia de: R$ 16,20 (20%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$21,60 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
São Paulo, atualmente com 11,5 milhões de habitantes, foi a cidade que mais cresceu durante o século XX em comparação às metrópoles europeias e norte-americanas. Apesar de significativas melhorias na infraestrutura urbana - rede de água e esgoto, coleta de lixo etc. -, ela concentra um crescente número de favelados, cerca de 1,5 milhão, 1 milhão de moradores em cortiços, além de 2 milhões de pessoas que habitam nas áreas de proteção de mananciais, nas bordas das represas Guarapiranga e Billings. É uma metrópole que conjuga grupos ricos e outros extremamente mais numerosos compostos por camadas pobres.

"Decifra-me ou te devoro" constitui uma metáfora já utilizada a fim de entender as dificuldades para analisar sua complexidade e suas contradições. A presente coletânea procura desvendar algumas faces enigmáticas dessa esfinge, tais como a violência urbana, as moradias precárias e os partidos políticos. Mas acerca deste último aspecto, propomos uma concepção ampla de política, incorporando eventos como os protestos de 2013 e a ocupação de prédios na áreas centrais da cidade. Nos seus 14 capítulos, antropólogos, sociólogos, cientistas políticos e urbanistas que têm se dedicado ao estudo da metrópole paulistana aprofundam questões como segregação urbana, o uso das praças e ruas das zonas centrais, a produção cultural proveniente das periferias, a extrema vulnerabilidade da "cracolândia" e a influência do PCC na diminuição da taxa de homicídios.

Trata-se uma coletânea que interessa não só a pesquisadores das áreas de ciências humanas, mas também a todos aqueles que almejam uma cidade mais democrática e eficaz no enfrentamento dos problemas urbanos e sociais.

Sobre os organizadores

Lúcio Kowarick é professor titular do Departamento de Ciência Política da USP. Publicou diversos livros, entre os quais Viver em risco (Prêmio Jabuti de 2010). Recebeu em 2013 o Prêmio Florestan Fernandes (SBS), pela contribuição ao desenvolvimento da sociologia no Brasil. Foi chefe de departamento durante seis anos e membro do Conselho Universitário, trabalhou no Cebrap (1970-1975) e no Cedec (décadas de 1980 e 1990).

Heitor Frúgoli Jr. é professor livre-docente do Departamento de Antropologia da USP e coordenador do Grupo de Estudos de Antropologia da Cidade (USP). Foi professor titular da Cátedra de Estudos Brasileiros da Universidade de Leiden (2010) e Directeur d'Études da École des Hautes Études en Sciences Sociales (2013). É pesquisador do CNPq desde 2005 e tem várias obras publicadas no campo da antropologia da cidade.

Dados Técnicos
Páginas: 416
Peso: 570g
ISBN: 9788573266184