Artes plásticas e trabalho livre - De Dürer a Velázquez, livro de Sérgio Ferro

Artes plásticas e trabalho livre - De Dürer a Velázquez

editora: EDITORA 34
assunto: ,
Em Artes plásticas e trabalho livre, Sérgio Ferro - arquiteto, pintor e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1962-1971) e da École d'Architecture de Grenoble (1973-2003) - analisa a produção artística do Renascimento enquanto fruto da resistência à exploração do trabalho artesanal, a qual se intensifica no final da Idade Média quando os ateliês adotam progressivamente a mesma organização das manufaturas.

Sob essa ótica - e considerando atentamente a materialidade do processo produtivo das obras de arte, visto também como mod... [Leia mais]
R$ 43,21
preço de capa: R$ 53,00
economia de: R$ 9,79 (18%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$14,40 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
Em Artes plásticas e trabalho livre, Sérgio Ferro - arquiteto, pintor e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1962-1971) e da École d'Architecture de Grenoble (1973-2003) - analisa a produção artística do Renascimento enquanto fruto da resistência à exploração do trabalho artesanal, a qual se intensifica no final da Idade Média quando os ateliês adotam progressivamente a mesma organização das manufaturas.

Sob essa ótica - e considerando atentamente a materialidade do processo produtivo das obras de arte, visto também como modelo em escala da dinâmica social -, o autor não se deixa seduzir pela condição aurática dessas obras, e concentra seu exame nas operações materiais do fazer e nos procedimentos adotados pelos artistas para se diferenciarem dos artesãos: o virtuosismo, a denegação do fazer, a sprezzatura e o non finito.

Combinando de forma ímpar conhecimento intelectual e práxis artística, Sérgio Ferro revê neste livro os procedimentos estéticos empregados por Dürer, Leonardo, Tintoretto, Ticiano, Michelangelo, Caravaggio, El Greco, Velázquez e Rembrandt para conquistar um novo lugar para as artes plásticas, com consequências que se desdobram até hoje.

Sobre o autor

Sérgio Ferro nasceu em Curitiba, em 1938, e foi, durante mais de quarenta anos, professor de História da Arte e da Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1962-1970) e na École d'Architecture de Grenoble (1972-2003). Foi também diretor do Laboratoire de Recherche Dessin/Chantier do Ministério da Cultura da França. Em sua atividade de pesquisador seguiu o ensinamento de Flávio Motta: além dos procedimentos habituais da tradição universitária, a pesquisa deve incluir a experimentação prática. Assim, a maioria de sua obra em arquitetura (associado com Flávio Império e Rodrigo Lefèvre), como em pintura, é constituída por experiências nas quais sua teoria, de fundamento marxista, é diversamente testada. A teoria conduz, entretanto, a resultados praticamente opostos nestas duas áreas, em função de seus posicionamentos diversos na produção social. Em consequência, o livro Artes plásticas e trabalho livre é o complemento em negativo de Arquitetura e trabalho livre (2006, vencedor do Prêmio Jabuti na categoria Ciências Humanas). Tem pinturas em diversos museus internacionais e obra de arquitetura classificada como monumento histórico. É Chevalier de l'Ordre des Arts et des Lettres, nomeado pelo governo da França em 1992.

Dados Técnicos
Páginas: 224
Peso: 360g
ISBN: 9788573265880