Joaquim Nabuco: a voz da abolição, livro de Lailson de Holanda Cavalcanti

Joaquim Nabuco: a voz da abolição

editora: MASSANGANA
"A escravidão é a destruição de todos os principios e fundamentos da moralidade religiosa e positiva; politicamente, é o servilismo, a degradação do povo, a doença do funcionalismo; econômica e socialmente, é o bem-estar transitório de uma classe única" - Joaquim Nabuco. Que o exemplo de Joaquim Nabuco seja útil para refletirmos sobre as formas silenciosas de escravidão ainda hoje reinantes. Elas são o lodo que se esconde fácil sob as pedras do caminho e nos dá a sensação falsa de que aquelas pedras estão postas ali firmemente. Aquelas formas tácitas de escravidão têm vulgos conhecidos e re... [Leia mais]
R$ 17,50
preço de capa: R$ 25,00
economia de: R$ 7,50 (30%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$5,83 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
"A escravidão é a destruição de todos os principios e fundamentos da moralidade religiosa e positiva; politicamente, é o servilismo, a degradação do povo, a doença do funcionalismo; econômica e socialmente, é o bem-estar transitório de uma classe única" - Joaquim Nabuco. Que o exemplo de Joaquim Nabuco seja útil para refletirmos sobre as formas silenciosas de escravidão ainda hoje reinantes. Elas são o lodo que se esconde fácil sob as pedras do caminho e nos dá a sensação falsa de que aquelas pedras estão postas ali firmemente. Aquelas formas tácitas de escravidão têm vulgos conhecidos e residência estabelecida. Chamam-se o tempo inteiro de analfabetismo, miséria, ignorância. Moram numa cobertura de onde se pode ver o mundo inteiro, e se chamam acomodação. mas atendem também pelo nome de covardia, quando saem às ruas e promovem violência, quando vão á periferia, favorecem a corrupção e promovem um apartheid do tamanho do Brasil. Contra essa acomodação, a Diretoria de Cultura da Fundação Joaquim Nabuco oferece essa voz. Vem em tons de voz desenhada, que é voz e gesto ao mesmo tempo. É a voz de Nabuco, na voz de Lailson de Holanda, este que nesses anos todos tem registrado com lucidez a vida política do Brasil e do mundo - o que, de alguma forma, é uma variante da voz de Angelo Agostini, caricaturista dos tempos de Nabuco. Que ela sirva para reduzir as diferenças. Melhor: que sirva para ampliar a igualdade. Que seu conteúdo seja mais que o traço (o traço de Lailson é mais que a mistura de cimento e areia, como se diz, na construção: já é o prédio levantado). Que altere a vida das pessoas para melhor.

Dados Técnicos
Páginas: 62
Peso: 345g
ISBN: 9788570194695