Efeitos da implantação de linhas de distribuição de energia sobre a paisagem e a fauna do Marajó, livro de Regiane Saturnino, Ana Luisa Albernaz

Efeitos da implantação de linhas de distribuição de energia sobre a paisagem e a fauna do Marajó

A região amazônica desperta o interesse da comunidade científica, que reconhece a sua incalculável riqueza biológica, assim como da sociedade em geral, das indústrias e dos diversos setores produtivos. A Amazônia detém a mais alta diversidade biológica do planeta, que contribui com serviços ambientais, como ciclagem de nutrientes e fixação de nitrogênio por bactérias dos solos, com potencial de novas descobertas que melhorem a qualidade de vida da população. Alguns dos fatores que provocam alterações na paisagem e afetam a manutenção da floresta e seus serviços ambientais são a expansão agr... [Leia mais]
R$ 21,00
preço de capa: R$ 30,00
economia de: R$ 9,00 (30%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$7,00 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
A região amazônica desperta o interesse da comunidade científica, que reconhece a sua incalculável riqueza biológica, assim como da sociedade em geral, das indústrias e dos diversos setores produtivos. A Amazônia detém a mais alta diversidade biológica do planeta, que contribui com serviços ambientais, como ciclagem de nutrientes e fixação de nitrogênio por bactérias dos solos, com potencial de novas descobertas que melhorem a qualidade de vida da população. Alguns dos fatores que provocam alterações na paisagem e afetam a manutenção da floresta e seus serviços ambientais são a expansão agropecuária e a utilização dos recursos da fauna e da flora. A estes somam-se os efeitos da implantação dos projetos de infraestrutura, sobretudo as obras no setor de energia, incluindo-se as hidrelétricas e as linhas de transmissão e de distribuição de eletricidade, estas últimas, tratadas neste livro. Em razão do isolamento da região do Marajó, até 2011 predominavam os sistemas de geração de energia termoelétrica, com altos custos operacionais, o que levou à implantação do projeto de interligação da energia para a Ilha de Marajó, com estimativa de atender em torno de 214 mil habitantes (IBGE, 2008; RAS, 2009). Como resultado, na primeira fase foi instalado um empreendimento com cerca de 500 km de linhas de distribuição (LDs) de energia elétrica, contando seis municípios: Bagre, Breves, Curralinho, Melgaço, Oieiras da Pará e Portel. Atualmente, está em andamento a segunda fase do projeto de interligação da energia para a Ilha do Marajó, nos municípios de Cachoeira da Arari e Ponta de Pedras. Na primeira fase de implementação das linhas, o principal impacto direto foi a supressão da vegetação para a criação da faixa de servidão, que corresponde ao trecho onde as torres e redes de transmissão e distribuição de energia são instalados e a manutenção dessas faixas para possíveis reparos das LDs conduz a um cenário de descontinuidade das formações florestais e o consequente aumento das taxas de queda de árvores ao longo do tempo, devido à alteração na incidência de ventos e aumento dos efeitos de borda, entre outros fatores. Esse processo, conhecido como fragmentação florestal, pode resultar em perda do biodiversidade a médio e longo prazos, com a alteração do equilíbrio ambiental do ecossistema e das dinâmicas de migração e dispersão das populações e organismos distribuídos pela região. Além disso, com a construção de tais empreendimentos há sempre a possibilidade de aumentar a facilidade de acesso, resultando no incremento da ocupação humana espontânea e, consequentemente, das taxas de desmatamento e escoamento dos produtos da floresta. Diante do exposto, o projeto teve como objetivo avaliar como o estabelecimento das LDs afetou a paisagem em seu entorno e se essas alterações resultaram em modificações nos parâmetros de comunidades faunísticas, em comparação às áreas mais preservadas e distantes dos impactos citados.

Dados Técnicos
Páginas: 154
Peso: 700g
ISBN: 9788561377878