Os nomes da história - Ensaio de poética do saber, livro de Jacques Rancière

Os nomes da história - Ensaio de poética do saber


R$ 26,60
preço de capa: R$ 38,00
economia de: R$ 11,40 (30%)
   adicionar ao carrinho
editora: UNESP
assunto:
condição: Livro novo
prazo: Sob encomenda. Envio em 1 dia útil + frete (grátis nas compras acima de R$149 para todo o Brasil)
  • A construção da narrativa histórica - Séculos XIX e XX, livro de Ana Nemi, Néri de Barros Almeida, Rossana Alves Baptista Pinheiro

    A construção da narrativa histórica - Séculos XIX e XX

    Ana Nemi, Néri de Barros Almeida, Rossana Alves Baptis

    R$ 40,00
    R$ 32,00


  • Diante da imagem, livro de Georges Didi-Huberman

    Diante da imagem

    Georges Didi-Huberman

    R$ 64,00
    R$ 44,80


  • O SI-MESMO COMO OUTRO, livro de Paul Ricoeur

    O SI-MESMO COMO OUTRO

    Paul Ricoeur

    R$ 59,90
    R$ 41,93


  • Seis passeios pelo bosque da ficção, livro de Umberto Eco

    Seis passeios pelo bosque da ficção

    Umberto Eco

    R$ 36,00
    R$ 27,00


  • De Hegel a Nietzsche - A ruptura revolucionária no pensamento do século XIX Marx e Kierkegaard, livro de Karl Löwith

    De Hegel a Nietzsche - A ruptura revolucionária no pensamento do século XIX Marx e Kierkegaard

    Karl Löwith

    R$ 89,00
    R$ 62,30


  • O Capital - Livro II, livro de Karl Marx

    O Capital - Livro II

    Karl Marx

    R$ 98,00
    R$ 68,60


  • Pilatos e Jesus, livro de Giorgio Agamben

    Pilatos e Jesus

    Giorgio Agamben

    R$ 32,00
    R$ 22,40


Descrição
O principal objetivo de Jacques Rancière aqui é fazer uma crítica às escolas historiográficas mais proeminentes e analisar como cada corrente constrói seu discurso a partir do termo histoire, empregado para História e história – daí o título “os nomes da história”. Ele também busca identificar como cada grupo posiciona História em relação a história para tentar demonstrar de que modo cada abordagem conspira para o uso da segunda concepção e a supressão tanto do “excesso de palavras” desencadeado pela Revolução Francesa quanto do anacronismo do evento da Revolução.

Relatos de pessoas anônimas são centrais no livro, pois, com a “morte do rei” e os eventos da revolução, entrou em cena um personagem novo, segundo o autor: a massa, cuja voz passa a ecoar da democracia ou, às vezes, do anonimato. Ele, por isso, confere à Revolução Francesa o papel de “pausa epistemológica”, que chamaria de nova estrutura poética do conhecimento. A base dessa estrutura, diz, é a falta de relação entre as palavras e as coisas ou o excesso de significado, para além do significado.

São esses precisamente os sentidos de histoire que Rancière evoca no título do livro. Por agregar duas “coisas” diferentes, a palavra história serve de exemplo do “excesso de palavras”. E é esse excesso que possibilita à História existir como disciplina, que tenta escapar à esfera da literatura, da crônica e, ainda, não ser confundida com as histórias contadas. “Não era simplesmente o fato de poder conciliar os rigores de uma com os encantos da outra. Era, bem mais profundamente, o fato de que apenas a língua das histórias era capaz de marcara cientificidade própria da ciência histórica: uma questão não de retórica [...] mas de poética, constituindo em língua de verdade a língua tão verdadeira quanto falsa das histórias”.

Dados Técnicos
Páginas: 160
Peso: 205g
ISBN: 9788539305780
Google Books Preview
Busca por Artigos d'O Benedito
Book GlyphFilósofos e literatos que pontuam Mallarmé como o principal marco de ruptura com a poesia pregressa
...Mallarmé como fundamental instaurador de questões contemporâneas que ultrapassam a forma poética.   Stéphane Mallarmé (1842-1898) inaugurou questões e possibilidades para a poesia, tão ...


Book GlyphEducação emancipatória
...“Todo conhecimento de si como inteligência está no domínio de um livro, de um capítulo, de uma frase, de uma palavra” – Rancière. JacquesRancière, em O mestre ignorante, apresent...


Book GlyphComplexas relações: democracia e totalitarismo
...“O ódio à democracia é tão velho quanto a democracia: a própria palavra é a expressão de um ódio”. A Boitempo acaba de lançar O ódio à democracia, do filósofo francês JacquesRancièr...






A 30PorCento é uma livraria virtual cuja missão principal é potencializar, através dos livros, a renovação do pensamento crítico brasíleiro. Oferecemos livros com desconto em todo nosso catálogo.

Frete: além do Sedex e das entregas de Bicicleta, utilizamos também uma categoria especial e econômica para postagem de livros no correio chamada Impresso com Registro Módico, cujo preço é fixo, por peso, para qualquer cidade do Brasil.



Link para a revista literária O Benedito.

> 7LETRAS
> ALEPH
> ALFAGUARA
> AMARILYS
> ANNABLUME
> ATELIE
> AUTENTICA
> BEM-TE-VI
> BIBLIOTECA AZUL
> BLUCHER
> BOITEMPO
> CARAMBAIA
> COMPANHIA DAS LETRAS
> CORTEZ
> COSACNAIFY
> DISCURSO EDITORIAL
> EDIÇÕES LOYOLA
> EDIPRO
> EDITORA 34
> EDITORA UFRJ
> EDITORA UFV
> EDIÇÕES 70
> EDUEL
> EDUEM
> EDUERJ
> EDUSP
> ESTAÇÃO LIBERDADE
> EXPRESSÃO POPULAR
> GLOBAL
> HEDRA
> HUMANITAS
> ILUMINURAS
> INSTITUTO MOREIRA SALLES
> INSTITUTO PIAGET
> MANOLE
> MARTINS FONTES
> MERCADO DE LETRAS
> MUNDARÉU
> NOVA ALEXANDRIA
> NOVA FRONTEIRA
> MUSA
> OCTAVO
> PALAS ATHENA
> PAZ E TERRA
> PERSPECTIVA
> PONTES
> RADIO LONDRES
> SENAC
> SESC SP
> TINTA DA CHINA
> TORDESILHAS
> UNESP
> UNICAMP
> VOZES
> WMF MARTINS FONTES
> ZAHAR
+ editoras




Blog Não Gosto de Plágio - a polêmica do plágio de traduções literárias no Brasil, por Denise Bottmann