De Hegel a Nietzsche - A ruptura revolucionária no pensamento do século XIX Marx e Kierkegaard, livro de Karl Löwith

De Hegel a Nietzsche - A ruptura revolucionária no pensamento do século XIX Marx e Kierkegaard


R$ 68,53
editora: UNESP
assunto:
Esgotado, mas podemos checar na editora o prazo para reimpressão e em 48h entramos em contato informando-lhe. Que tal? Deixe seu email:
  • A melancolia diante do espelho, livro de Jean Starobinski

    A melancolia diante do espelho

    Jean Starobinski

    R$ 42,00
    R$ 34,44


  • O Capital - Livro II, livro de Karl Marx

    O Capital - Livro II

    Karl Marx

    R$ 98,00
    R$ 68,60


  • Começo conjectural da história humana, livro de Immanuel Kant

    Começo conjectural da história humana

    Immanuel Kant

    R$ 28,00
    R$ 22,96


  • Tratado da Natureza Humana, livro de David Hume

    Tratado da Natureza Humana

    David Hume

    R$ 110,00
    R$ 90,20


  • Na pior em Paris e Londres, livro de George Orwell

    Na pior em Paris e Londres

    George Orwell

    R$ 49,00
    R$ 36,75


  • Natureza Humana - Justiça Vs. Poder - O debate entre Chomsky e Foucault, livro de Noam Chomsky, Michel Foucault

    Natureza Humana - Justiça Vs. Poder - O debate entre Chomsky e Foucault

    Noam Chomsky, Michel Foucault

    R$ 39,90
    R$ 27,93


  • Tribunos, profetas e sacerdotes, livro de Bolívar Lamounier

    Tribunos, profetas e sacerdotes

    Bolívar Lamounier

    R$ 57,90
    R$ 43,43


Descrição
Os estudos de Karl Löwith reunidos nesta obra enfocam o período compreendido entre as vidas de Hegel e Nietzsche e procuram “reescrever”, no horizonte do presente, a história filosófica do século 19.

Na primeira parte do livro (“Sobre a história do espírito alemão no século 19”)Löwith estuda os pensadores individualmente e suas afinidades e hostilidades recíprocas. Ele analisa as relações entre Goethe e Hegel e o pensamento de autores que emergiram após a morte de Hegel, como Bauer, Feurbach, Marx, Stirner, Kierkegaard e Shelling, entre vários outros, apresentando ao leitor os vários campos filosóficos surgidos ao longo do século 19.

A segunda parte (“Estudos sobre a história do mundo cristão burguês”)é organizada em torno dos temas mais importantes do pensamento daquele período. Löwith dedica um capítulo para cada conceito – sociedade, educação, trabalho, Cristianismo, humanidade –, demonstrando como todos eles gradualmente deixaram de representar um ideal para se transformar em um problema. O trabalho, por exemplo, era visto como o meio para o homem dominar a natureza e, portanto, um grande bem. Com Marx, o trabalho passa a ser visto como fonte de alienação do homem de si mesmo e, portanto, algo ruim. De modo semelhante, Hegel usava a palavra “humanidade” em sentido positivo, enquanto Nietzsche propôs o “homem além do homem”, sugerindo a necessidade de um “super homem” que ultrapassasse sua própria humanidade.

Ao longo do livro, Löwith cumpre a meta de trazer à tona, de forma precisa, o período que compreende os pensamentos de Hegel e de Nietzsche. Mas ele não se preocupa em escrever uma história convencional e cronológica, e sim em articular um movimento específico de pensamento, que rastreia a consistência do desenvolvimento filosófico desde Hegel.

Tal desenvolvimento parte de Hegel – para quem o mundo era uma grande síntese, um cosmos, um lugar ordenado em que o homem ocupa o nicho central – em direção Nietzsche, que vê o mundo como o caos, um lugar sem sentido em que a experiência fundamental do homem é a angústia e a dor. Na tentativa de determinar o que aconteceu, Löwith começa sujeitando o sistema filosófico de Hegel a uma análise simpática, mas crítica. O filósofo emerge como o grande mediador dos opositores entre fé e razão, objetividade e subjetividade, indivíduo e Estado, teoria e prática. Seus sucessores, especialmente Marx e Kierkegaard, segundo Löwith, despedaçam o que Hegel havia juntado. Na época de Nietzsche, a visão de mundo de Hegel, juntamente com quase todas as visões de mundo do passado, foram questionadas de modo a se tornarem desacreditadas. Com isso, Nietzsche teria sido forçado a uma tentativa de reconstrução, que terminou em sua loucura.

Dados Técnicos
Páginas: 458
Peso: 725g
ISBN: 9788539305698
Google Books Preview





A 30PorCento é uma livraria virtual cuja missão principal é potencializar, através dos livros, a renovação do pensamento crítico brasíleiro. Oferecemos livros com desconto em todo nosso catálogo.

Frete: além do Sedex e das entregas de Bicicleta, utilizamos também uma categoria especial e econômica para postagem de livros no correio chamada Impresso com Registro Módico, cujo preço é fixo, por peso, para qualquer cidade do Brasil.

Política de troca e devolução: produtos vendidos e enviados pela Livraria 30porcento podem ser devolvidos em até 30 dias após o recebimento do pedido. Para receber o reembolso total, os produtos devolvidos devem estar em condições de novo. Produtos com defeito podem ser devolvidos no prazo de garantia legal solicitados por email em até 30 dias.


Link para a revista literária O Benedito.

> 7LETRAS
> ALEPH
> ALFAGUARA
> AMARILYS
> ANNABLUME
> ATELIE
> AUTENTICA
> AUTONOMIA LITERÁRIA
> BEM-TE-VI
> BIBLIOTECA AZUL
> BLUCHER
> BOITEMPO
> CARAMBAIA
> COMPANHIA DAS LETRAS
> CORTEZ
> COSACNAIFY
> DISCURSO EDITORIAL
> EDIÇÕES LOYOLA
> EDIPRO
> EDITORA 34
> EDITORA UFRJ
> EDITORA UFV
> EDIÇÕES 70
> EDUEL
> EDUEM
> EDUERJ
> EDUFPA
> EDUSP
> ELEFANTE
> ESTAÇÃO LIBERDADE
> EXPRESSÃO POPULAR
> GLOBAL
> HEDRA
> HUMANITAS
> ILUMINURAS
> INSTITUTO MOREIRA SALLES
> INSTITUTO PIAGET
> MANOLE
> MARTINS FONTES
> MERCADO DE LETRAS
> MUNDARÉU
> NOVA ALEXANDRIA
> NOVA FRONTEIRA
> MUSA
> OCTAVO
> PALAS ATHENA
> PAZ E TERRA
> PERSPECTIVA
> PONTES
> RADIO LONDRES
> SENAC
> SESC SP
> TINTA DA CHINA
> TODAVIA
> TORDESILHAS
> UBU EDITORA
> UNESP
> UNICAMP
> VOZES
> WMF MARTINS FONTES
> ZAHAR
+ editoras




Blog Não Gosto de Plágio - a polêmica do plágio de traduções literárias no Brasil, por Denise Bottmann