Entretempos: Mapeando a História da Cultura Brasileira, livro de Ettore Finazzi Agro

Entretempos: Mapeando a História da Cultura Brasileira

editora: UNESP
Esta obra de Éttore Finazzi-Agrò convida o leitor a um voo panorâmico sobre as heranças históricas e culturais do Brasil. Mas o autor não tem como objetivo construir uma síntese cronológica da história da produção artística e cultural do país. O que ele oferece, ao contrário, é uma visão composta de fragmentos dispersos no espaço-tempo. Finazzi-Agrò optou por esse caminho não por lhe faltarem elementos. Para ele, simplesmente não é possível – e seria também inútil – fazer tal síntese cronológica: “Uma obra desse tipo correria, de fato, o risco (na verdade, incontornável) de ser arbitrária e... [Leia mais]
R$ 63,00
preço de capa: R$ 79,00
economia de: R$ 16,00 (20%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$21,00 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Esta obra de Éttore Finazzi-Agrò convida o leitor a um voo panorâmico sobre as heranças históricas e culturais do Brasil. Mas o autor não tem como objetivo construir uma síntese cronológica da história da produção artística e cultural do país. O que ele oferece, ao contrário, é uma visão composta de fragmentos dispersos no espaço-tempo. Finazzi-Agrò optou por esse caminho não por lhe faltarem elementos. Para ele, simplesmente não é possível – e seria também inútil – fazer tal síntese cronológica: “Uma obra desse tipo correria, de fato, o risco (na verdade, incontornável) de ser arbitrária e ideologicamente orientada, de ser, em suma, apenas uma narrativa montada à vontade do autor.” Ele acredita que, na busca de escrever sua própria história, a cultura brasileira pode ter negado o passado, sacralizando-o em uma espécie de recalque simbólico, sem, contudo, ter esquecido que esse espaço oco pode ser um ‘tempo em palimpsesto’ – ou seja, em que os eventos se alternam. Após analisar os modos possíveis de “fazer história” num contexto pós-colonial, ele estuda, por exemplo, o mito fundador de uma “ilha Brasil”, aborda temas vinculados à figura do índio na cultura brasileira e perpassa questões como pobreza, violência e marginalidade. A obra, assim, constitui um inventário das origens plurais do que se entende por identidade brasileira. É um estudo das ordens infinitas que constituem a trama do real. Ou na definição do próprio autor: “Um livro de afetos: afeto ou dedicação à cultura brasileira e aos seus expoentes, escritores ou críticos, literatos ou teóricos da literatura”.

Dados Técnicos
Páginas: 424
Peso: 485g
ISBN: 9788539304875