Correspondência 1928-1940, livro de Theodor W. Adorno, Walter Benjamin

Correspondência 1928-1940

editora: UNESP
assunto:
A correspondência entre Walter Benjamin e Theodor Adorno, que a Editora Unesp publica, em sua totalidade, pela primeira vez em português, insere-se entre os textos mais importantes produzidos durante o período de maior barbárie do século 20 – os anos de ascensão do nazismo.

Fundamental para a compreensão do trabalho desses dois pensadores seminais, as cartas revelam a amizade, a parceria e a afinidade intelectual ímpar que eles cultivaram por quase 20 anos.

Único acadêmico quelogroumanter um relacionamento verdadeiramente próximo e prolongado com Benjamin, Ado... [Leia mais]
R$ 59,64
preço de capa: R$ 76,00
economia de: R$ 16,36 (22%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$19,88 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
A correspondência entre Walter Benjamin e Theodor Adorno, que a Editora Unesp publica, em sua totalidade, pela primeira vez em português, insere-se entre os textos mais importantes produzidos durante o período de maior barbárie do século 20 – os anos de ascensão do nazismo.

Fundamental para a compreensão do trabalho desses dois pensadores seminais, as cartas revelam a amizade, a parceria e a afinidade intelectual ímpar que eles cultivaram por quase 20 anos.

Único acadêmico quelogroumanter um relacionamento verdadeiramente próximo e prolongado com Benjamin, Adorno, que era 11 anos mais jovem, chegou a exercer certa influência sobre sua obra. E foi fortemente influenciado por suas ideias.

A maior parte destas 121 cartas – e também as mais longas – foram escritas por Adorno. São comentários e críticas aos ensaios de Benjamin, dos quais ele foi, provavelmente, o leitor mais arguto. Assim, esta correspondência é de grande importância para a compreensão, em especial, do pensamento benjaminiano.

Além dos episódios em que um apoiava claramente as ideias do outro, estas cartas retratam os momentos de tensão entre os dois pensadores. Tais momentos tornaram-se mais frequentes e agudos em especial a partir 1937-1938, quando Benjamin escreve o ensaio “A Paris do Segundo Império em Baudelaire”, que Adorno crítica de forma severa, cobrando conceitos mais bem formulados acerca de “modernidade”.

Sob pressão de Adorno, Benjamin reformula duas vezes o ensaio para tê-lo aceito pela Revista de Pesquisa Social, do Instituto de Pesquisa Social (que ficou conhecido como Escola de Frankfurt). A publicação do texto era decisiva para Benjamin. Se fosse recusado, o financiamento de suas pesquisas pelo instituto, sua única fonte de renda a partir do exílio, em Paris, em 1933, seria suspenso.

As cartas retratam também a forma como Adorno e Benjamin viam seus contemporâneos na academia. Tal visão veio à tona pela primeira vez quando forampublicadas na íntegra em alemão, causando grande impacto – as edições anteriores omitiam as passagens em que os dois amigos celebram sua própria intimidade com observações francas, muitas vezes cáusticas, a respeito de outros intelectuais.

Mas esta correspondência têm, principalmente, o mérito de apresentar com clareza as idéias expostas nos escritos teóricos de ambos. E, não menos importante, constituem material crucial para a compreensão da gênese do livro das Passagens, de Benjamin.

Sobre o autor

Filósofo, sociólogo, psicólogo, musicólogo, Theodor Wiesengrund Adorno (1903-69), um dos expoentes da Escola de Frankfurt, é considerado um dos maiores filósofos do século 20 e um dos principais teóricos da cultura. Fez parte da corrente conhecida como Escola de Frankfurt, ao lado de Max Horkheimer, Walter Benjamin e Jürgen Habermas. Entre suas principais obras estão Kierkegaard: A construção do estético (1933), A idéia de História Natural (1932), Minima Moralia (1945), Dialética do Esclarecimento (1947), Dialética Negativa (1966) eTeoria estética (1968).

Marxista, mas também adepto das ideias do místico judaico Gershom Scholem, Walter Bejamin, combinou ideias aparentemente antagônicas em sua obra, considerada uma importante contribuição para a teoria estética. Entre as suas obras mais conhecidas, estão A Obra de Arte na Era da Sua Reprodutibilidade Técnica (1936), Teses Sobre o Conceito de História (1940) e a monumental e inacabada Paris, Capital do século XIX.

Dados Técnicos
Peso: 601g
ISBN: 9788539303625