As origens do homem explicadas para crianças, livro de Pascal Picq

As origens do homem explicadas para crianças

editora: UNESP
Saber de onde viemos para assumir conscientemente nossos destinos, eis o ponto de chegada desta obra, escrita por Pascal Picq em homenagem a Charles Darwin. Em forma de diálogo com uma criança, em linguagem simples e acessível, este livro reconstitui a história da evolução como se desenrolasse uma linha do tempo. Não se trata, porém, de um relato linear. O autor deslinda as diferenças e semelhanças biológicas e de comportamento entre as várias espécies, com ênfase nos grandes macacos, ou hominídeos, linhagem à qual pertence o homem, ao lado do chimpanzé e gorila. Mostra como as espécies eme... [Leia mais]
R$ 35,36
preço de capa: R$ 46,00
economia de: R$ 10,64 (23%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$11,79 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
Saber de onde viemos para assumir conscientemente nossos destinos, eis o ponto de chegada desta obra, escrita por Pascal Picq em homenagem a Charles Darwin. Em forma de diálogo com uma criança, em linguagem simples e acessível, este livro reconstitui a história da evolução como se desenrolasse uma linha do tempo. Não se trata, porém, de um relato linear. O autor deslinda as diferenças e semelhanças biológicas e de comportamento entre as várias espécies, com ênfase nos grandes macacos, ou hominídeos, linhagem à qual pertence o homem, ao lado do chimpanzé e gorila. Mostra como as espécies emergiram e continuaram evoluindo ou extinguiram-se ao longo de uma trajetória iniciada há dezenas de milhões de anos. E como, em meio a essa diversidade, surgiu, na África, o Homo ergaster, considerado o primeiro ancestral do Homo sapiens, que se espalharia por todo o planeta, inclusive em rota de colisão com espécies derivadas do mesmo tronco. Um dos trechos mais interessantes da obra refere-se à convivência de milhares de anos do Homo sapiens, que se desenvolveu na África, com uma dessas espécies, o Neandertal, que evoluiu na Europa glacial e tinha pele clara, cabelos ruivos e, provavelmente, olhos azuis. A convivência entre as duas espécies se deu na região do médio oriente, para onde acorriam, simultaneamente, tanto grupos de Homo sapiens, para escapar do quente verão africano, quanto comunidades de Neandertal, em fuga das baixas temperaturas do inverno nórdico. Este último acabou extinto em conseqüência do isolamento provocado pela acelerada expansão geográfica do Homo sapiens. Picq aborda o tema da origem e da evolução conforme as perspectivas atuais, em diálogo com Darwin e com a Antropologia evolucionista, que abarca todas as ciências do homem, descortinando um horizonte baseado exclusivamente no conhecimento. Ele enfatiza que, apesar da clareza das ideias de Darwin e do impressionante avanço da genética, linguística e etologia - que possibilitou uma nova visão acerca da história da evolução humana - são inúmeras as besteiras ainda ho je apresentadas como verdades científicas em livros de psicologia de sucesso. O autor zomba, por exemplo, de teorias que pretendem explicar o modelo moderno de família a partir do papel supostamente desempenhado por homens e mulheres em épocas remotas. Tais teorias, afirma, nada têm de científico, mas constituem-se, ao contrário, de um amontoado de clichês absurdos a sugerir que nossos ancestrais de milhares de anos viviam como os povos caçadores-coletores atuais, como se estes não tivessem evoluído. De acordo com alguns desses clichês a tendência feminina à comunicação tem origem na Era Glacial. Durante esse período, elas ficariam em suas grutas papeando e cozinhando, enquanto os homens se aventuravam na caça de mamutes. A infidelidade masculina no amor também se justifica - seria fruto do instinto de procriação dos ancestrais do gênero (quanto mais parceiras, mais filhos). Assim como se explica a fidelidade feminina, que estaria na extrema dependência da mulher do abastecimento de carne (para garanti-lo, ela escolheria o melhor provedor e se manteria fiel a ele). Na Era Glacial, porém, a espécie humana já habitava o planeta inteiro, não vivia apenas em grutas e a caça estava longe de representar a única fonte de alimento. Picq defende a derrubada de mitos e caricaturas de todos os matizes e o compromisso exclusivamente com o conhecimento da trajetória evolutiva como único caminho para a construção de um belo futuro. E deixa implícito que, se a bagagem atualmente disponível fosse bem compreendida e aplicada, a humanidade certamente já estaria bem mais próxima desse futuro promissor.

Dados Técnicos
Páginas: 161
Peso: 222g
ISBN: 9788539302673