Na senzala, uma flor - Esperanças e recordações na formação da família escrava - Brasil Sudeste, século XIX, livro de Robert W. Slenes

Na senzala, uma flor - Esperanças e recordações na formação da família escrava - Brasil Sudeste, século XIX

editora: UNICAMP
assunto:
O título deste livro refere-se à imagem usada por um viajante estrangeiro no Brasil, para quem não haveria “uma flor” na senzala — não haveria amor, família, “nem esperanças nem recordações”. Robert Slenes encontrou essa flor. Slenes discute a família escrava à luz da cultura africana, mas suas conclusões e métodos vão muito além do tema específico. Argumenta que tradições centro-africanas fundamentaram identidades e solidariedades que marcaram a luta de classes no Sudeste escravista. Muitos adeptos e estudiosos das tradições banto encontrarão aqui fogo bom para sua panela cultural. Além di... [Leia mais]
R$ 45,92
preço de capa: R$ 56,00
economia de: R$ 10,08 (18%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$15,31 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
O título deste livro refere-se à imagem usada por um viajante estrangeiro no Brasil, para quem não haveria “uma flor” na senzala — não haveria amor, família, “nem esperanças nem recordações”. Robert Slenes encontrou essa flor. Slenes discute a família escrava à luz da cultura africana, mas suas conclusões e métodos vão muito além do tema específico. Argumenta que tradições centro-africanas fundamentaram identidades e solidariedades que marcaram a luta de classes no Sudeste escravista. Muitos adeptos e estudiosos das tradições banto encontrarão aqui fogo bom para sua panela cultural. Além disso, essa meticulosa investigação dos sentidos culturais da família escrava é uma lição de método para quem pretenda estudar qualquer outra “tradição” da África em terras brasileiras. (João José Reis)

Sobre o autor

Robert W. Slenes é professor do Departamento de História da Unicamp desde 1984, tendo lecionado antes na Universidade Federal Fluminense e nos Estados Unidos. De origem norte-americana, doutorou-se na Stanford University (1976) com uma tese sobre a demografia da escravidão no Brasil, no período de 1850 a 1888. Desde então, tem se interessado especialmente por questões ligadas à cultura escrava e à reelaboração das “recordações” centro-africanas nas senzalas. Além de Na senzala, uma flor (1a edição, 1999), publicou estudos sobre o papel das línguas, das cosmologias e das instituições político-religiosas da África Central na formação de uma identidade cativa “resistente” nas fazendas do Sudeste — o tema de seu próximo livro.

Dados Técnicos
Peso: 451g
ISBN: 9788526809444