As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga - Tradução e comentário da obra de Shitao, livro de Pierre Ryckmans

As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga - Tradução e comentário da obra de Shitao

editora: UNICAMP
assunto:
A teoria pictórica chinesa, iniciada em meados do primeiro milênio (o mais antigo texto que nos chegou inteiro data do século IV) e adquirindo a sua maturidade na dinastia Song, quando a pintura de paisagem dos letrados se torna hegemônica, tem no tratado do pintor Shitao (1642-1707), As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga, o que pode ser considerado o seu texto mais importante. Reflexo de uma vida inteira dedicada à pintura, As anotações, escrito com base nas grandes correntes do pensamento chinês — confucionismo, taoismo e budismo, além da literatura escrita pelos próprios pin... [Leia mais]
R$ 52,50
preço de capa: R$ 66,00
economia de: R$ 13,50 (20%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$5,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$17,50 sem juros.
Apenas 1 em estoque.
Descrição
A teoria pictórica chinesa, iniciada em meados do primeiro milênio (o mais antigo texto que nos chegou inteiro data do século IV) e adquirindo a sua maturidade na dinastia Song, quando a pintura de paisagem dos letrados se torna hegemônica, tem no tratado do pintor Shitao (1642-1707), As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga, o que pode ser considerado o seu texto mais importante. Reflexo de uma vida inteira dedicada à pintura, As anotações, escrito com base nas grandes correntes do pensamento chinês — confucionismo, taoismo e budismo, além da literatura escrita pelos próprios pintores e estetas —, revela-se uma obra filosófica cuja principal preocupação não é a pintura ou os pintores, mas o Ato do Pintor. Mas como compreender pensamentos e reflexões tão distantes de nossa cultura? Por meio de um trabalho minucioso de aproximação, com explicações e comentários detalhados sobre as teorias e as práticas pictóricas chinesas. Foi o que fez o sinólogo belga Pierre Ryckmans ao escrever notas para cada um dos 18 capítulos do texto, tornando sua leitura compreensível aos não iniciados. Poético, situando a criação pictórica no mesmo nível da criação cósmica, o tratado de Shitao nos faz mergulhar na maior tradição de pintura paisagística da história: a pintura de paisagem do antigo Império do Meio.

O belga Pierre Ryckmans, que também se utiliza do nome artístico Simon Leys, nasceu em 1935, em Bruxelas. Além de tradutor de obras chinesas, é ensaísta, historiador, professor universitário e ficcionista. Escreveu diversas obras, entre as quais La vie et l’oeuvre de Su Renshan, rebelle, peintre et fou (1971, prêmio Stanislas Julien, Institut de France), Essais sur la Chine (1998) e Les Naufragés du Batavia (2003, prêmio Guizot). Um de seus romances, A morte de Napoleão, publicado no Brasil em 1993, tornou-se o filme The Emperor’s New Clothes (2001), dirigido por Alan Taylor — no Brasil, As novas roupas do imperador.

Dados Técnicos
Peso: 510g
ISBN: 9788526808829