Unb e Comunicação nos Anos 1970: Acordo Tácito Repressão e Credibilidade Acadêmica, livro de Marco Antonio Rodrigues Dias

Unb e Comunicação nos Anos 1970: Acordo Tácito Repressão e Credibilidade Acadêmica

editora: UNB
Nos anos 1970, houve um acordo tácito que vigorou na UnB. Professores competentes com passado político comprometedor para os donos do poder, durante o regime militar, eram admitidos e exerciam o magistério aparentemente sem problemas. Este fato permitiu que muitas áreas passassem a se destacar no plano nacional e mesmo internacional, como foi o caso da Economia, Medicina, Geologia, Arquitetura e Comunicação. A UnB, no entanto, não era uma instituição democrática. Permanecia sob tutela, controlada por elementos ligados aos órgãos de repressão. Quem se aventurasse além dos limites considerado... [Leia mais]
R$ 41,50
preço de capa: R$ 55,00
economia de: R$ 13,50 (25%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$13,83 sem juros.
Apenas 2 em estoque.
Descrição
Nos anos 1970, houve um acordo tácito que vigorou na UnB. Professores competentes com passado político comprometedor para os donos do poder, durante o regime militar, eram admitidos e exerciam o magistério aparentemente sem problemas. Este fato permitiu que muitas áreas passassem a se destacar no plano nacional e mesmo internacional, como foi o caso da Economia, Medicina, Geologia, Arquitetura e Comunicação. A UnB, no entanto, não era uma instituição democrática. Permanecia sob tutela, controlada por elementos ligados aos órgãos de repressão. Quem se aventurasse além dos limites considerados toleráveis era, de uma maneira ou de outra eliminado. Até que ponto a busca da recuperação da credibilidade acadêmica era possível num regime sob tutela, em que o controle se efetuava dentro dos princípios da lei de segurança nacional? A esta questão busca responder o depoimento do professor Marco Antonio Rodrigues Dias, um carioca que se instalou em Minas Gerais e daí foi para Brasília, onde, nos anos 1970 foi professor, chefe do Departamento de Comunicação e vice-reitor da UnB, defendendo uma política de abertura e opondo-se, como fez durante a crise da instituição em 1977, às punições arbitrárias contra professores e, em particular, contra os estudantes. O depoimento do professor Rodrigues Dias adentra nos meandros de um período relativamente desconhecido, recupera os esforços de reconstrução da instituição pela equipe trazida para a UnB pelo mineiro Caio Benjamin Dias e mostra como este foi afastado para que as forças de segurança mantivessem o poder dentro da universidade. Demonstra ainda como o confronto, dentro do governo, entre adeptos da abertura política e os que desejavam um reforço da repressão repercutia dentro da UnB. Especial destaque é dado à área de comunicação, à função que estudos realizados na UnB repercutiram na definição de políticas nacionais de comunicação e ao papel que exerceu neste campo o então ministro das Comunicações.

Dados Técnicos
Páginas: 265
Peso: 440g
ISBN: 9788523010553