Margem Esquerda 28, livro de Vários autores

Margem Esquerda 28

editora: BOITEMPO
Dossiê: Feminismo, marxismo e a Revolução Russa

Maria Lygia Quartim de Moraes,Michael Löwy,Rejane Carolina Hoeveler,Slavoj Žižek eWendy Goldman, entre outros.

Margem Esquerda dedica-se, neste número, a acompanhar o percurso da maior tentativa de transformação social já empreendida na história da humanidade: a Revolução Russa de outubro de 1917. Muito já se escreveu sobre esse excepcional evento, e o balanço de seus erros e acertos está longe de ser conclusivo. Agora, quase três décadas após o fim da União Soviética socialista, talvez seja possível ter um olhar... [Leia mais]
R$ 21,00
preço de capa: R$ 30,00
economia de: R$ 9,00 (30%)
Frete Grátis
para pedidos acima de R$99,00 ou frete fixo de R$6,90 para todo o Brasil.
Parcele
sua compra em 3x de R$7,00 sem juros.
Em estoque.
Descrição
Dossiê: Feminismo, marxismo e a Revolução Russa

Maria Lygia Quartim de Moraes,Michael Löwy,Rejane Carolina Hoeveler,Slavoj Žižek eWendy Goldman, entre outros.

Margem Esquerda dedica-se, neste número, a acompanhar o percurso da maior tentativa de transformação social já empreendida na história da humanidade: a Revolução Russa de outubro de 1917. Muito já se escreveu sobre esse excepcional evento, e o balanço de seus erros e acertos está longe de ser conclusivo. Agora, quase três décadas após o fim da União Soviética socialista, talvez seja possível ter um olhar mais objetivo sobre o tema.

Realizada num país economicamente atrasado, em meio a um conflito de largas proporções – a Primeira Guerra Mundial – e num momento em que o capitalismo monopolista assumia vigor inusitado, a Revolução Russa produziu reflexos em inúmeras áreas do conhecimento humano. Não há domínio da cultura que tenha ficado imune a sua influência: arquitetura, música, artes plásticas, artes cênicas, fotografia, cinema e publicidade, entre outros, foram tocados de forma indelével pelo formidável movimento de massas desenca- deado pelos bolcheviques. Nas palavras do historiador inglês Eric Hobsbawm, “a Revolução de Outubro teve repercussões muito mais profundas e globais que a Revolução Francesa (1789) e produziu, de longe, o mais formidável movimento revolucionário organizado na história moderna”.

E foi visando tratar dela que reunimos aqui artigos, documentos, poema e imagens que abordam, sob diferentes ângulos, esses cem anos de história. A começar pela entrevista com a historiadora Anita Leocadia Prestes, filha de Luiz Carlos Prestes e Olga Benario, que viveu na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas durante os anos 1973 a 1979 e conta não só sobre essa experiência e sua trajetória intelectual como também sobre os bastidores do Partido Comunista Brasileiro, incluindo o desligamento de seu pai.

O dossiê Feminismo, marxismo e a Revolução Russa, organizado por Artur Renzo, traz textos de Maria Lygia Quartim de Moraes, As origens do feminismo marxista; Wendy Goldman, A libertação das mulheres e a Revo-ução Russa: legado e lições; e Rejane Hoeveler, A Revolução Bolchevique no olhar de Clara Zetkin. Os demais artigos são de Miguel Urbano Rodrigues, A humanidade e o socialismo; Michael Löwy, Da Revolução de Outubro ao ecocomunismo no século XXI; Ricardo Prestes Pazello, Pachukanis: a teoria marxista do direito aos cem anos da Revolução Russa; Slavoj Žižek, Lenin navegando em territórios desconhecidos; e Guido Liguori, Gramsci, o fascismo, a hegemonia, este traduzido e apresentado por Daniela Mussi.

Inspirados pelos ventos de Outubro, republicamos, na seção Documento, o texto A Revolução Russa, escrito no calor da hora (em julho de 1917!) por Astrojildo Pereira, e traduzimos do russo o inédito Mulher e socialismo, da cosmonauta e ativista Valentina Terechkôva. O Clássico desta vez é a Carta sobre o stalinismo, de György Lukács, traduzida por Leandro Konder e apresentada por Antonio Carlos Mazzeo; na seção Resenhas, destacamos o texto Emancipação feminina, emancipação da humanidade, de Maria Orlanda Pinassi, que analisa a antologia A revolução das mulheres: emancipação feminina na Rússia soviética, organizada por Graziela Schneider. Já o poema escolhido é o magnífico Poema do passaporte soviético, de Vladimir Maiakovski, traduzido e apresentado por Flávio Wolf de Aguiar.

Ainda na esteira do centenário da Revolução Bolchevique, as ilustrações – selecionadas pelo artista plástico Sergio Romagnolo – são do ícone da arte moderna Kazimir Malevich (1878-1935). Segundo Romagnolo, “além de pintor vanguardista que rompeu com as correntes artísticas de sua época para fundar uma linguagem própria, Malevich foi professor na Escola de Arte de Vitebsk, participando da formação intelectual das gerações que viriam a construir o socialismo”. É dele “uma das pinturas mais radicais do século XX: Composição suprematista, branco sobre branco, um quadrado branco inclinado sobre um fundo branco, de 1918”, que se encontra à página 160 deste volume.

Margem Esquerda 28 traz ainda um texto de Emir Sader sobre o coman- dante em chefe da Revolução Cubana, Fidel Castro Ruz, falecido em 25 de novembro do 2016, aos 90 anos, além de resenhas e notas de leitura.

Preparávamo-nos para entrar em gráfica quando fomos surpreendidos pela notícia da morte do escritor, crítico literário e sociólogo Antonio Candido de Mello e Souza. Nascido em 1918, Candido graduou-se em ciências sociais na Universidade de São Paulo, onde se tornou professor emérito. Autor de livros que se tornaram referência, foi mestre de inúmeras gerações, as quais formou com extraordinário senso de humor, erudição e generosidade. Participou da fundação do Partido dos Trabalhadores e foi desde sempre um militante socialista engajado – numa recente entrevista, afirmou: “o que se pensa que é a face humana do capitalismo é o que o socialismo arrancou dele com suor, lágrimas e sangue”. A esse intelectual raro, cuja obra e memória estarão eternamente presentes, dedicamos esta edição.

Dados Técnicos
Peso: 261g
ISBN: 9771678768428